ABAIXO-ASSINADO: NÃO À EXTINÇÃO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL. Assine e divulgue

26.06.2016
Do portal PETIÇÃO PÚBLICA

Não à extinção da Previdência Social

QUEREM ACABAR COM A PREVIDÊNCIA
QUEREM ACABAR COM SEUS DIREITOS
O presidente ilegítimo Michel Temer tem atacado os direitos previdenciários e trabalhistas diariamente. Na primeira semana, ele acabou com o Ministério da Previdência Social e os serviços foram desmembrados entre o Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário e o Ministério da Fazenda. O que você tem a ver com essa luta?

Desvinculação de benefícios previdenciários – A Reforma da Previdência quer implantar a criação de um salário de referência para aposentadorias e demais benefícios pagos pelo INSS sem vínculo com o reajuste do salário mínimo. Com isso, o seu benefício será achatado e ficará desvalorizado frente ao salário, sem falar que o valor também poderá ser congelado.

Adoção da idade mínima para a aposentadoria – Se aprovada, a idade mínima para aposentadoria passará a ser de 65 anos para homens e mulheres. A ideia é forçar as pessoas a passar mais tempo trabalhando e contribuindo para a previdência. Significa também que muita gente pode morrer (antes dos 65) sem receber o benefício.

Nossa categoria está mobilizada na LUTA NACIONAL pela manutenção do Ministério da Previdência vinculado ao Ministério do Trabalho. Contamos com o seu apoio para dar força ao movimento contra a Reforma da Previdência e a PRIVATIZAÇÃO do sistema. Este governo golpista quer acabar com seus direitos. REAJA!

****
Fonte:http://www.peticaopublica.com.br/pview.aspx?pi=BR91478

Anúncios

13 comentários sobre “ABAIXO-ASSINADO: NÃO À EXTINÇÃO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL. Assine e divulgue

  1. Mais de 1.500 magistrados do Trabalho, associados à Associação Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho – ANAMATRA, em apenas uma semana, manifestaram, formalmente via e-mail à Presidência da entidade, adesão ao “Documento em Defesa do Direito do Trabalho e da Justiça do Trabalho no Brasil”, elaborado e assinado por 20 ministros do Tribunal Superior do Trabalho (TST).

    Entre os apoiadores do documento estão treze ex-presidentes da Anamatra, todos os atuais membros da diretoria, os 24 presidentes das Associações Regionais de Magistrados do Trabalho (Amatras), além de ministros do TST aposentados, diversos desembargadores, corregedores e do presidente do Colégio de Presidentes e Corregedores dos Tribunais Regionais do Trabalho (Coleprecor), desembargador Lorival Santos.

    O texto ressalta a característica do Direito do Trabalho enquanto direito fundamental e alerta para os discursos, crescentes em época de crise, em defesa da desregulamentação dos direitos trabalhistas, da redução de benefícios sociais, da terceirização e da mitigação da responsabilidade social das empresas.

    Para os ministros signatários, o caminho em defesa dos direitos sociais trabalhistas é irrenunciável. “Agredir o Direito do Trabalho e a Justiça do Trabalho é desproteger mais de 45 milhões de trabalhadores, vilipendiar cerca de dez milhões de desempregados, fechar os olhos para milhões de mutilados e revelar-se indiferente à população de trabalhadores e também de empregadores que acreditam na força da legislação trabalhista e em seu papel constitucional para o desenvolvimento do Brasil”, alertam.

    Na avaliação do presidente da Anamatra, Germano Siqueira, a massiva adesão ao documento é simbólica e marca a posição majoritária da Magistratura do Trabalho em defesa dos direitos sociais. “Qualquer outro discurso contrário a isso é inoportuno e representa grave ameaça aos alicerces e a um mercado civilizado e justo para todos. Toda e qualquer proposta de reforma deve observar a Constituição Federal, que prevê a construção progressiva de novos direitos no intuito de melhorar a condição social do trabalhador e não de reduzir as suas conquistas históricas e fundamentais”, explica.

    Novas adesões

    O “Documento em Defesa do Direito do Trabalho e da Justiça do Trabalho no Brasil” continua aberto a nova adesões de juízes de todos os ramos do Poder Judiciário, membros de outras carreiras, instituições, acadêmicos, entidades da sociedade civil e outros interessados.

    Para fazê-lo, basta encaminhar e-mail para presidencia@anamatra.org.br O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. , informando nome, cargo e instituição.

    Clique AQUI e confira a íntegra do documento . Esse E-mail tem por objetivo tornar o informativo acima conhecido.

    Curtir

  2. Eu não concordo com essa reforma da previdência arranjada as pressas, pelo Michel Temer. Acho muito danoso para nós, nossos filhos, nossos netos, isso é muito danoso para a sociedade toda num geral. Acho que não precisa de reforma coisa nenhuma, basta acabar com a corrupção e os desvios de dinheiro da previdência.

    Curtir

  3. Sou contra, a mais uma das tantas falcatruas desses bandidos, que se dizem representantes do povo brasileiro, chega de safadeza, pelo amor de Deus! Só roubalheira, projetos de leis obscuros, isso não é papel de governantes de boa índole, muito pelo contrário, é desprezo total ao povo desse País, isso tem que acabar, ou então o povo se unir e declarar guerra a esses corruptos, sujando as mãos com sangue!

    Curtir

  4. Há anos a previdência vinha bem para todos os trabalhadores brasileiros, inclusive com plano de sáude que funcionava muito bem ai resolveram criar o maldito sus que náo funciona e criou mais uma robalheira e desvio de nossos impostos. Agora querem acabar com nossa aposentadoria e nossos direitos trabalhistas. Qual é a sua SR.Temer dessa vez? Seja mais claro não vamos aceitar isso.

    Curtir

    • Isso mesmo, Claúdio. Por isso é importante que você e sua familia, parentes e amigos estejam nas ruas, dia 28 de abril para protestar e exigir a retirada desta desumana pec 287.16,que na prática destrói a Previdência Brasileira!

      Curtir

      • A solução , Valentim, e ir pra ruas protestar e pressionar os parlamentares federais de seu estado para não votar a favor da PEC 287/16 e dia 28.04, protestar!

        Curtir

    • NÃO A REFORMA DA PREVIDÊNCIA. Vamos lutar pelos nossos direitos. Pedindo justiça e direitos iguais. Porque os governantes do nosso País não fazem projeto de lei para abaixar os seus salários e acabar com a corrupção, devolvendo o dinheiro que eles roubaram dos cofres públicos. Assim iremos garantir a Previdência. Vamos orar e lutar por nossos direitos.

      Curtir

      • Isso mesmo, Rosa. Espero que todos que acessam esse blog, tenha ciência que a Reforma da Previd~encia visa destruir todos os direitos previdenciários. Portanto, todos devem ir às ruas para protestar e pedir a retirada deste PEC 287/16 desumana e cruel, Dia 28 de abril é dia de dizer não á Reforma da Previdência.

        Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s