Num país civilizado — não no Brasil — a sentença grotesca da juíza Hardt sobre o sítio seria anulada

06.02.2019
Do blog DCM
Por Kiko Nogueira 

A juíza Gabriela Hardt

O casamento entre a parcialidade e a incompetência com o claro intuito de ver Lula morrer na cadeia.

O resultado disso está na sentença em que ele foi condenado a 12 anos e 11 meses. No total, praticamente um quarto de século.

Reproduzo o Brasil de Fato:

A juíza Gabriela Hardt, substituta de Sérgio Moro na condução dos processos Lava Jato na Justiça Federal em Curitiba, menciona Léo Pinheiro e José Aldemário como pessoas distintas em parte de sua decisão. 

“Embora a defesa de Luiz Inácio Lula da Silva tente diminuir a credibilidade dos depoimentos prestados por colaboradores e pelos co-réus Léo Pinheiro e José Aldemário […]”, diz o texto, na página 116.

Em contradição com este trecho, outros fragmentos da sentença colocam os nomes do delator como sinônimos. 

Leo Pinheiro é o apelido pelo qual é conhecido José Aldemário Pinheiro Filho, empreiteiro da OAS. O depoimento dele, que inicialmente inocentava o petista, é considerado o principal elemento para a condenação de Lula. Pinheiro modificou sua versão dos fatos após conseguir viabilizar um acordo de delação premiada.

Os advogados de Lula ainda apontaram que seu cliente foi condenado a uma “pena fora de qualquer parâmetro das penas já aplicadas no âmbito da própria Operação Lava Jato”.

“Uma vez mais a Justiça Federal de Curitiba atribuiu responsabilidade criminal ao ex-presidente tendo por base uma acusação que envolve um imóvel do qual ele não é o proprietário, um ‘caixa geral’ e outras narrativas acusatórias referenciadas apenas por delatores generosamente beneficiados”, disseram.

O sítio, de acordo com a magistrada, foi mais usado por Lula do que pelo proprietário.

Ora, então Lula não é o dono??

Em qualquer lugar do mundo civilizado, a anulação da decisão grotesca seria óbvia.

O importante é lembrar que não nos encaixamos nessa liga e o caminho para sair da cloaca da República de Curitiba será longo, duro e sinuoso.

*****
Fonte:https://www.diariodocentrodomundo.com.br/num-pais-civilizado-nao-no-brasil-a-sentenca-grotesca-da-juiza-hardt-sobre-o-sitio-seria-anulada-por-kiko-nogueira/

Um comentário sobre “Num país civilizado — não no Brasil — a sentença grotesca da juíza Hardt sobre o sítio seria anulada

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s