Conselheiros eleitos do CONAD/GEAP entregam carta-programa de 2014/2017 ao novo presidente do CONAD, Fernando Wandsheer de Moura Alves

27.01.2020

Por Irineu Messias*, atualizada em 28.01.2020, 09:23h

No dia 23, quinta-feira, assumiu a presidência  do Conselho de Administração(CONAD) da GEAP, Dr. Fernando Wandsheer de Moura Alves, secretário-adjunto da Casa Civil da Presidente da República, vinculado ao ministro da Casa Civil,  Onix Lorenzoni.

Na ocasião, como de praxe, os conselheiros eleitos entregaram a carta-programa com que disputaram as eleições de 2014 e 2017, demonstrando para o novo presidente o compromisso dos conselheiros com os interesses dos beneficiários da GEAP e pela sustentabilidade financeira da mesma, sempre se colocando contrario aos reajustes abusivos praticados nestes ultimo anos. Em dezembro passado, inclusive,  esses conselheiros eleitos votaram contra o reajuste de 12,54% para 2020, por considerar que era possível um reajuste bem menor, à semelhança do que ocorreu em 2019, cujo reajuste foi de apenas9,76%.

Os conselheiros eleitos também reiteraram o compromisso de continuar lutando por uma Geap cada mais vez voltada para os interesses dos beneficiários, defendendo-os com convicção em todos  os pleitos, por entender que estes são de fato os verdadeiros donos da GEAP, pois contribuem com cerca de 87% das receitas da Geap. O Governo aporta apenas 13% dessas  receitas, no entanto, detém o comando total da Fundação, sem que  os assistidos, por meio de seus representantes,  possam participar ou  opinar de forma mais efetiva em sua gestão.

Da esquerda para a direita:Thiago Groszewicz,Fernando Wandsheer de Moura Alves,presidente do CONAD,Hélio Cabral Sant’ana e o Dr Ricardo Figueiredo , Diretor-presidente da Geap.(fonte: Geap)

Foram empossados, além do novo presidente do Conad, os conselheiros titulares Hélio Cabral Sant’ana (antes conselheiro do Conselho Fiscal – CONFIS) e Thiago Groszewicz.

CARTA PROGRAMA
Dr. Fernando Wandsheer de Moura Alves, novo presidente do CONAD/GEAP recebendo das mãos de um dos  conselheiro eleitos , Irineu Messias de Araujo, carta–programa que os atuais  conselheiros eleitos disputaram as eleições de 2014 e 2017 , tanto para o CONAD como para  o CONFIS.

Irineu Messias de Araujo (CNTSS), conselheiro eleito, fez a entrega da carta–programa, que durante a reunião foi assinada pelos  conselheiros presentes Manoel Lessa(ANASPS), Ivete Amorim(CONDSEF) e Leonardo Barbosa(ANESG). Messias fez questão de lembrar que embora assinada apenas pelos conselheiros presentes, a carta-programa representava o pensamento de todos os conselheiros eleitos tanto do CONAD, como do Confis e de suas entidades nacionais, as quais também representam  em ambos os Conselhos.

Durante a posse do novo presidente, os conselheiros eleitos fizeram questão de  frisar que foram eleitos pelos assistidos para defende-los, e  com o apoio de suas entidades nacionais  defender seus direitos,  bem como a sustentabilidade financeira da Geap que precisa ser cada vez mais transparente e possuidora de um  modelo de Governança Corporativa que a leve ao um novo  patamar de excelência  administrativa em sua gestão.  Os conselheiros eleitos reiteraram também que poderá haver momentos de divergências (e foram muitos que já ocorreram) mas que isto não poderia ser encarados como uma simples querelas entre representantes dos assistidos e representantes do Governo Federal, mas a reafirmação dos compromissos firmados com os assistidos que por duas vezes elegeram a mesma chapa(NOSSA CHAPA) confirmando a sintonia com os interesses dos mesmos e que portanto a representação do governo não deveria entender a firme posição dos eleitos, (muitas vezes divergentes mesmo), como um simples “cabo de guerra” entre uma e outra parte.

Os conselheiros eleitos fizeram questão de frisar a importância de suas entidades nacionais: CNTSS, ANASPS, CONDSEF, FENADADOS e ANESG que ao longo seus mandatos, deram todo o apoio para que os conselheiros pudessem atuar da melhor forma possível na  defesa firme de todos os assistidos da GEAP e na defesa da própria GEAP, que há anos  sofre com uma injusta intervenção fiscal da Agência Nacional de Saúde Suplementar- ANS que teima em dar um tratamento discriminatório a todas as autogestões, principalmente  à Geap, fato este que  tem contribuído também  para os reajustes abusivos desses último anos.Contudo, a maior responsabilidade por  esses reajustes deve-se também ao  descompromisso do Governo Federal em não reajustar a per capita de cada servidor federal,  que está  há mais de 5 anos congelada e por isso mesmo representa  apenas 13% das receitas da GEAP, quando sua participação financeira deveria ser no mínimo de 50%, e não de 13% como atualmente é.

Essa falta de equalização na participação do Governo Federal,  tem sido um  dos principais fatores para elevação  do  preço do plano de saúde para os servidores, que não suportando tal situação tem sido “expulso” da Geap, por não terem  mais  condições financeiras de ficar.

A permanente “briga” dos eleitos apoiados por suas entidades nacionais,  acima mencionadas, tem sido no sentido de se cortar despesas supérfluas e contratos administrativos que não trazem resultados para a Geap, além de defenderem um maior  monitoramento daquelas vultosas despesas assistenciais que não trazem benefícios para seus assistidos. No entanto  isto deve ser feito sem  prejudicar os assistidos na qualidades dos serviços assistenciais e nem se deva lançar mão de uma prática comum entre as operadoras de saúde, que para economizar nas receitas passa a negar procedimentos.

Quando essas negativas ocorrem, apesar disso,  a sugestão é que os assistidos, primeiramente, procurem a Ouvidoria da Geap, e se não resolver, procurem o mais rápido possível suas entidades classistas e sindicais em nível estadual ou nacional para que as providências sejam tomadas. Não recomendamos procurar primeiramente a ANS, pois esta aplica multas pesadíssimas à Geap, sendo  que 87% do valor dessas multas vai sair do bolso dos próprios assistidos!

Algumas dessas cobranças dos eleitos tem sido atendida em parte pela atual Diretoria da Geap. Contudo, acreditamos que é preciso avançar mais no sentido de facilitar ainda mais a vida dos assistidos,  sem penalizá-los com negativas de procedimentos e nem aplicando reajustes abusivos contra os mesmos, pois com o congelamento salarial já anunciado pelo Governo Federal e o provável aumento das alíquotas  previdenciárias por conta da Reforma da Previdência (EC 103/19), vai se tornando cada vez mais difícil a permanência do servidor na Geap, subtraindo-lhe  o direito à saúde suplementar, previsto na lei 8.112/90(RJU).

Conselheiros eleitos integrantes da NOSSA CHAPA, eleita em 2014 e  reeleita em 2017 para o CONAD/GEAP e CONFIS/GEAP:

CONAD

Titulares:

Irineu Messias de Araujo – CNTSS(Ex-presidente do CONAD)(SINDSPREV/PE)

Manoel Ricardo Palmeira Lessa  – ANASPS/RJ

Ivete Vicentina de Amorim – CONDSEF/MT

Suplentes:

Ricardo Luiz Dias Mendonça – CNTSS(SINPREV/BA)

Elienai  Ramos Coelho – ANASPS/DF

Leonardo Alexandre Silveira Barbosa – ANESG/MG

CONFIS

Titulares:

Maria das Graças de Oliveira(presidenta do CONFIS) – CNTSS(SINTSAÚDE/RJ)

Maria do Perpetuo Socorro(ex-presidenta CONFIS) –  FENADADOS(SINDPD/MA)

Suplentes:

Deusa Maria Duarte – CNTSS(SINDPREV/DF)

Hervecio Cruz – ANESG/MG
*Irineu Messias de Araujo,  é secretário-geral do SINDSPREV/PE e conselheiro titular eleito para o CONAD/GEAP para os triênios 2014/2017 e 2017/2020.

 

Leia mais:

Onyx Lorenzoni demite conselheiros da Geap

****

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s