Paralisação Nacional reúne trabalhadores contra a Reforma da Previdência

25.03.2017
Do portal do SINDSPREV/PE, 16.03.17

Por todo o país, os trabalhadores pararam no dia 15 de março em protesto contra a PEC 287/16, que está em tramitação no Congresso Nacional. No Recife, os atos ocuparam as principais vias da região central da cidade

CLIQUE PARA AMPLIAR
Sindicato se uniu ao protesto articulado pela CUT-PE para endossar a luta contra a Reforma

A quarta-feira, dia 15 de março, foi de luta intensa em todos os cantos do país contra os desmandos do Governo Temer. Os movimentos sociais foram às ruas em protesto contra a Reforma da Previdência, em tramitação no Congresso Nacional, e contra a Reforma Trabalhista. Em Pernambuco, todas as Agências da Previdência Social fecharam as portas. O Sindicato dos Trabalhadores Públicos Federais em Saúde e Previdência Social (Sindsprev-PE) articulou atos de protesto simultâneos com os servidores do INSS e do Ministério da Saúde e, em seguida, a mobilização se uniu ao movimento deflagrado pela Central Única dos Trabalhadores de Pernambuco e fez uma caminhada rumo à Superintendência Regional do INSS, na Avenida Dantas Barreto, no bairro de Santo Antônio. De acordo com a CUT-PE, o ato unificado reuniu cerca de 40 mil pessoas. As mobilizações foram descentralizadas e aconteceram na Região Metropolitana e também no interior.

No Recife, a concentração dos atos organizados pelo Sindsprev-PE começou às 9h em frente à Gerência Executiva do INSS, na Avenida Mário Melo, em Santo Amaro, e em frente à Geap – Auto Gestão em Saúde, na Praça Chora Menino. Com faixas e cartazes, os trabalhadores conscientizaram a população sobre os danos da aprovação da PEC 287. ” O momento é importante para a unificação do povo na luta. Não somos apenas nós do INSS e da Saúde, mas os professores também estão nas ruas e muitas outras categorias. Essa reforma quer, na verdade, o fim da aposentadoria para 72% das pessoas que pagam a previdência e jamais vão conseguir o benefício antes de morrer ” , destacou o secretário geral do Sindsprev-PE, Luiz Eustáquio. 

Com a aprovação da PEC, outros direitos dos trabalhadores também serão aniquilados. ” A Reforma da Previdência representa perda de direitos para os servidores e para a população. O acesso aos benefícios serão dificultados e as exigências de tempo de contribuição e idade também serão maiores. Não é só pela aposentadoria, os auxílios também sofrerão mudanças. Até agora, nada que o presidente Temer fez foi favorável ao povo ” , desabafou a assistente social Elani Ximenes.

CLIQUE PARA AMPLIAR
Professores também foram às ruas e decretaram greve por tempo indeterminado

A Central Única dos Trabalhadores em Pernambuco convocou as centrais sindicais para uma greve geral nesta quarta-feira. A concentração também aconteceu às 9h, na Praça Osvaldo Cruz, bairro da Soledade. O protesto dos servidores do INSS seguiu em caminhada até o local onde intensificou o grande ato da CUT.

Durante a manhã, os trabalhadores em educação de Pernambuco decretaram greve por tempo indeterminado a partir desta quarta. A decisão foi votada em assembleia realizada na própria Praça Osvaldo Cruz. A paralisação, segundo a categoria, vai atingir a rede pública estadual, particular e escolas municipais do Recife, Paulista, Jaboatão dos Guararapes, Olinda, Cabo de Santo Agostinho e Moreno.
 

CLIQUE PARA AMPLIAR
Por conta do ato, o metrô só funcionou no horário de pico, mas ônibus funcionaram normalmente
 
Outra categoria que aderiu à manifestaçao foi o Sindicato dos Metroviários de Pernambuco. Por conta da greve geral, as Linhas Centro e Sul do metrô funcionaram das 5h às 9h e das 16h às 20h, nos horários de pico do sistema. A Linha Diesel (VLT) não entrou em operação. ”  A proposta de reforma do governo foi feita sem discussão com a sociedade civil e pretende igualar a idade mínima para aposentadoria de homens e mulheres em 65 anos, além de impor 49 anos de contribuição ininterruptas para o trabalhador conseguir se aposentar. Todos precisam participar destas manifestações, pois temos o dever de desmascarar o governo de Temer e mostrar à sociedade que ela foi enganada”, esclareceu o coordenador geral do Sindsprev-PE, José Bonifácio do Monte.
CLIQUE PARA AMPLIAR     CLIQUE PARA AMPLIAR

CLIQUE PARA AMPLIAR
Milhares de trabalhadores participaram da caminhada contra desmandos do Governo Temer
 

Quem também endossou a luta contra a Reforma da Previdência foi o Sindicato dos Agentes Comunitários de Saúde e Combate as Endemias do Estado de Pernambuco (Sindacs-PE). ” Estamos aqui mais uma vez acompanhando a mobilização nacional porque defendemos que o país precisa sim de uma reforma, mas ela não pode acontecer da forma que está sendo imposta pelo presidente Michel Temer. Ele está trucidando todo o sistema. Precisamos estar cada vez mais unidos e presentes na luta para reverter isso ” , convocou o dirigente do Sindacs-PE, Jorge Alberto.
CLIQUE PARA AMPLIAR     CLIQUE PARA AMPLIAR

CLIQUE PARA AMPLIAR
Protesto percorreu as principais vias da região central do Recife, incluindo a Av. Conde da Boa Vista
 

Os bancários, os portuários, enfermeiros, servidores municipais do Recife, policiais civis e o Movimento dos Trabalhadores Sem Teto se encontraram com a mobilização da CUT na Avenida Conde da Boa Vista, um dos principais corredores de tráfego da capital pernambucana, quando o grande ato deixou a Praça Osvaldo Cruz em direção à Superintendência Regional do INSS, na Avenida Dantas Barreto. A onda vermelha ainda teve reforço do Sindicato dos Vigilantes e dos trabalhadores da FioCruz.
CLIQUE PARA AMPLIAR     CLIQUE PARA AMPLIAR

CLIQUE PARA AMPLIAR
Movimentos sociais acreditam que só com a pressão popular risco pode ser revertido
 

Para a Central Única dos Trabalhadores, a greve geral superou a expectativa e reuniu quase 40 mil pessoas das mais diversas classes trabalhadoras. ” Nossa avaliação é extremamente positiva. No Recife, temos quase 40 mil pessoas, em Petrolina, são cinco mil. Ainda estamos com mobilizações em Caruaru, Limoeiro, Ipojuca, Palmares, Goiana e Garanhuns ” , detalhou o vice-presidente da CUT-PE, Paulo Rocha. ” O pessoal da educação fez uma bela assembleia e iniciou a greve por tempo indeterminado. Os sindicatos precisam da luta da classe trabalhadora para manter a coquista e o sonho de contruir um país melhor. Todo mundo tem direito a aposentadoria, a boa moradia, alimentação, segurança pública e transporte público ” , concluiu.
 
CLIQUE PARA AMPLIAR
Ato promovido pela CUT unificou protesto de diversos segmentos de trabalhadores 

Rodovias – O Dia Nacional de Paralisação contra a Reforma da Previdência teve início com protestos também nas rodovias federais na manhã desta quarta-feira. Por volta das 6h40, manifestantes queimaram pneus e fecharam a BR-101 nas imediações do viaduto de Jardim São Paulo e também no Terminal Integrado no Barro, no Recife. Outra manifestação fechou a BR-101, no bairro de Prazeres, Jaboatão dos Guararapes, nas imediações da fábrica da Vitarela, nos dois sentidos da via.

CLIQUE PARA AMPLIAR
Caminhada foi encerrada na sede da Superintendência Regional do INSS 

SERVIDORES DO INSS REFORÇAM A LUTA NO INTERIOR

Enquanto na capital pernambucana, os movimentos sociais se integraram em um grande ato contra a Rerforma da Previdência, a força de luta no interior veio dos servidores do INSS. Com todas as Agências de Previdência Social fechadas, os trabalhadores tiveram voz ativa para explicar para a população o que significa a aprovação da PEC 287 e dizer não aos cortes de direito. Em Petrolina, no Sertão, e em Limoeiro, no Agreste, foram articulados atos públicos de protesto em frente às APSs com a participação de dezenas de trabalhadores e apoio de outras entidades sindicais. Confira nas imagens abaixo:

LIMOEIRO 
CLIQUE PARA AMPLIAR

PETROLINA    
CLIQUE PARA AMPLIAR

CLIQUE PARA AMPLIAR     CLIQUE PARA AMPLIAR

GARANHUNS
CLIQUE PARA AMPLIAR     CLIQUE PARA AMPLIAR

CLIQUE PARA AMPLIAR

CARUARU
CLIQUE PARA AMPLIAR     CLIQUE PARA AMPLIAR

CLIQUE PARA AMPLIAR

****
Fonte:http://sindsprev.org.br/index.php?categoria=noticias_principais_01&codigo_noticia=0000004098&cat=noticias

Anúncios

Veja como votar na chapa 1, no dia 15 março. Assista o vídeo

07.03.2017
Do portal ELEIÇÕES GEAP 2017

***

Voto from Scytl Brasil on Vimeo.
****
Fonte:https://www.eleicoesgeap2017.com.br/#/tutorials

Presidente da CNTSS/CUT divulga Nota repudiando as medidas tomadas pelo governo interino contra a GEAP

16.06.2016
Do portal da CNTSS/CUT
Por Assessoria de Imprensa da CNTSS/CUT

Golpe impetrado pelo governo contra os beneficiários e a GEAP prevê alterações no Estatuto, troca do atual presidente da entidade e volta do aumento de 37,55% nas mensalidades dos planos de saúde

O presidente da CNTSS/CUT – Confederação Nacional dos Trabalhadores em Seguridade Social, Sandro Alex de Oliveira Cezar, divulgou nesta quinta-feira, 16 de junho, Nota repudiando as medidas adotadas pelo governo interino de Michel Temer contra os beneficiários dos planos de saúde da GEAP – Autogestão em Saúde e sua atual Direção. O golpe autoritário e retrógrado do Executivo Federal vem na contramão do processo de recuperação e saneamento da entidade que vinha sendo desenvolvido pelos trabalhadores, reais signatários deste patrimônio.
Veja abaixo a Nota assinada pelo presidente da Confederação:

Nota de Repúdio

A marca do governo interino de Michel Temer tem sido a implementação de uma política neoliberal que visa, entre outros pontos, o desmonte sistemático dos direitos conquistados pelos trabalhadores através de muita luta. Desta vez o governante interino voltou novamente sua artilharia contra os beneficiários da GEAP – Autogestão em Saúde. O golpe desferido atinge diretamente os servidores públicos federais com o requerimento de Ação Anulatória apresentado, em 10/06, pela Procuradoria Regional da União da 1ª Região contra a GEAP e acatado, em 14/06, pela Juíza Federal, Kátia Balbino de Carvalho Ferreira, da 3ª Vara/DF do Tribunal Regional Federal da Primeira Região. A decisão tomada pela Justiça atinge duramente o processo de recuperação econômica proposto para sanear e preservar o patrimônio dos trabalhadores e garantir o compromisso social da GEAP na condução de seus planos de saúde.
Em seu parecer a Juíza determina “a imediata suspensão das alterações dos Estatutos da GEAP, restabelecendo o Estatuto vigente antes da realização da 17ª Reunião Ordinária; a posse imediata e incondicional, evitando medidas protelatórias por parte do Conselho, dos membros indicados pela Patrocinadora União Federal, conforme já expresso no ato administrativo exarado pela Casa Civil da Presidência da República, em 18/05/2016, em especial para o exercício da presidência; e, por fim, pugna, ainda, a suspensão cautelar da Resolução/GEAP/CONAD nº 0219 que determinou a redução do reajuste de 37,55% para 20% nos planos de saúde operados pela GEAP”.
A atitude tomada pelo Executivo Federal demonstra a forma truculenta e açodada que vem praticando para apressar o desmonte não só do direito dos trabalhadores, mas também de todas as conquistas sociais alcançadas nestes últimos treze anos. A CNTSS/CUT – Confederação Nacional dos Trabalhadores em Seguridade Social e seus sindicatos filiados têm se manifestado abertamente contra as atitudes deste governo, assim como não vai aceitar passivamente as ações implementadas para prejudicar os beneficiários dos planos de saúde da GEAP e seu corpo diretivo. Vamos tomar todas as medidas cabíveis para reverter este quadro de desmandos na estrutura da GEAP.
Também vamos lutar para não perder a conquista que obtivemos recentemente com a aprovação unânime pelo Colegiado da medida que permitiu a mudança da Estatuto que, depois de 70 anos, garantiu que o Conselho Administrativo da operadora pudesse ser presidido por um trabalhador, revertendo a lógica excludente da entidade que sempre teve na sua presidência um conselheiro indicado do governo federal. Uma mudança que equilibrou a correlação de forças entre os representantes dos servidores e do governo no Conselho.
Tirar os trabalhadores da presidência é um retrocesso que não podemos admitir. Todos sabemos que o servidor público é o maior financiador do GEAP, pois é responsável por quase 70% dos recursos financeiros da entidade. Esta questão não pode ser negada pelo governo. Também não pode ser negligenciado o fato real que as alterações estatutárias foram realizadas dentro da maior lisura possível, sempre respeitando a legislação. Atropelar esta nova realidade é querer perpetrar um duríssimo ataque contra os direitos dos trabalhadores. O controle social e a transparência no controle da GEAP sempre foram situações almejadas pelos beneficiários dos planos de saúde.
Temer já havia tentado, em 18/05, tirar o atual comando dos trabalhadores na GEAP a partir de uma ação espúria do ministro chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha. Na ocasião, apressou-se em querer anular as deliberações do Conselho de Administração da entidade que garantiram a atualização do Estatuto. Além disto, de forma ditatorial, indicou o nome para a presidência do Colegiado. Como mencionei recentemente em artigo: “o ato do ministro chefe da Casa Civil demonstra total desconhecimento da personalidade jurídica da GEAP, uma operadora de saúde de natureza privada, sem fins lucrativos, que não está submetida à União”.
As medidas tomadas por Temer prejudicam diretamente cerca de 600 mil beneficiários, conforme indicadores apontados em censo de 2014. Reitero que é preciso que as entidades sindicais se mobilizem para que o Conselho de Administração da Geap possa seguir com autonomia, de forma transparente e com responsabilidade social para garantir o acesso dos beneficiários aos serviços prestados pela entidade. Para tanto, devemos estar mobilizados em nossas instâncias sindicais e em nossos Estados para evitar que o golpe contra a GEAP se consolide e exclua milhares de servidores públicos que não terão condições financeiras para arcar com os aumentos abusivos propostos.

Sandro Alex de Oliveira Cezar é presidente da CNTSS/CUT – Confederação Nacional dos Trabalhadores em Seguridade Social

*****
Fonte:http://www.cntsscut.org.br/destaques/2690/presidente-da-cntss-cut-divulga-nota-repudiando-as-medidas-tomadas-pelo-governo-interino-contra-a-geap

APESAR DA FUSÃO, NOSSA LUTA CONTINUA. O APOIO DOS SERVIDORES DO INSS , VIA ABAIXO-ASSINADO, CONTINUA SENDO MUITO IMPORTANTE

09.10.2015
Por Irineu Messias

A fusão dos Mnistérios dos Ministério da Previdência Social e do Ministério do Trabalho e Emprego em um só, não deve arrefecer o ânimo dos servidores da Previdência Social.

Devemos continuar lutando por nossa equiparação salarial com os servidroes do INSS. Durante a greve, os companheiros e companheiras do INSS, manifestaram uma grande solidariedade por nossa luta através de Abaixo-Assinado,emq ue muitos assinaram, revelando surpresa, pois não sabiam dessa discrepância salarial entre os servidores da Previdência Social e do INSS.Muitos até achavam que ganhávamos mais que o INSS!

Por isso que é importante continuarmos com o colhimento de assinaturas de todos os servidores do INSS em todo o país.

Carlos Eduardo Gabas, é o Secretário Especial de Previdência Social do Ministério do Trabalho e Previdência Social(MTPS).

No entanto, com a fusão dos Ministérios, tivemos que fazer algumas alterações no texto do novo abaixo-assinado,cujo conteúdo é praticamente o mesmo. Alteramos apenas o nome do Ministro. O encaminhamento agora será ao novo Secretário Especial de Previdência Social, Carlos Gabas, visto que, é ele o responsável direto pelos assuntos pertinentes à Previdência Social e, quando ministro.  tratou de perto da nossa situação funcional e salarial. Abaixo segue o texto com as pequenas alterações:

ABAIXO-ASSINADO

PELA EQUIPARAÇÃO SALARIAL ENTRE SERVIDORES DA PREVIDÊNCIA SOCIAL/INSS

“Excelentíssimo Senhor Secretário Especial de Previdência Social, Dr. Carlos Eduardo Gabas.

Ilustríssima Senhora Presidenta do Instituto Nacional do Seguro Social, Dra. Elisete Berchiol da Silva Iwai.

Nós, abaixo-assinados, servidores do Instituto Nacional do Seguro Social – INSS, através deste Abaixo-Assinado, manifestamos todo nosso apoio à luta dos servidores da Previdência Social, pela EQUIPARAÇÃO SALARIAL com nós servidores do INSS.

Na maioria dos estados e em Brasília/DF, trabalhamos lado a lado, muitas vezes exercendo as mesmas tarefas que nossos colegas da Previdência Social, sendo que eles recebem remuneração bem inferior à nossa, causando constrangimento a todos nós.

Por isso, solicitamos que esta discrepância seja finalmente resolvida por meio da equiparação salarial com os servidores da Carreira do Seguro Social, seja pela adesão á esta Carreira, ou um outro formato que elimine, em definitivo, esta grande diferença salarial pois os mesmos fazem parte da mesma Previdência Social que nós, cuja missão e valores são iguais.

Por ser uma questão de justiça, subscrevemo-nos abaixo”

Clque abaixo e baixe em PDF,  o texto do abaixo-assinado,  pronto  para o colhimento das assinaturas:

 Abaixo-assinado dos servidores do inss em apoio aos Servidores da Previdência Social

Precisamos continuar coma nossa meta de colher o maior número de assinaturas,para que quanto for instalado o Comitê Gestor da Carreira do Seguro Social, tenhamos um número impactante de companheiros e companheiras do INSS, apoiando nossa luta pela EQUIPARAÇÃO SALARIAL.

Durante a greve, já colhemos cerca de 1000 assinaturas em  todo o país. Agora precisamos correr atrás e ir em busca de 5000 mil assinaturas!

Sabemos que no passado, muitos abaixo-assinados já foram feitos. Estamos em um  novo cenário.

Pela primeira vez, nossa situação funcional e salarial foi objeto de um acordo de greve. Isso nunca aconteceu antes.Portanto o abaixo-assinado de agora  fortalece o conteúdo do Acordo de greve do INSS, que nos fala nosso  respeito.

Claro que não iremos apenas nos ater a esta estratégia. Em breve, a CNTSS e  ANASPS reunirá,  novamente, os servidores da Previdência Social para avaliar esse novo cenário de fusão de ministérios, mas também avaliarão os próximos encaminhamentos para fortalecer nossa luta pela equiparação salarial. Antes disto, contudo, tão logo saia o novo organograma da Secretaria Especial de Previdência Social, as duas entidades se reunirão com o secretário Gabas, para discutir o impacto da fusão na vida funcional dos servidores.

*****

CNTSS E OUTRAS ENTIDADES TEM REUNIÃO DE NEGOCIAÇÃO SOBRE O INSS E O PST

15.09.2015
Por Irineu Messias

As CNTSS/CUT e outras entidades nacionais tiveram reunidas em mais uma rodada de negociação com a Secretaria de Relações do Trabalho, Sérgio Mendonça.Aconteceram duas reuniões. A primeira iniciou-se às 18 horas. CNTSS e FENASPS, representada por seus comandos de greves, cobraram do do secretário, a retomada das negociações dos pontos de pauta da greve do INSS. Mendonça, deu início à reunião, informando que as negociações estavam sendo retomadas pela intermediação dos senadores Paulo Rocha(PT.PA) e Lindberg Farias(PT.RJ),que foram procurados pelos comandos de greves da CNTSS e da FENASPS, na sexta feira passada..

Os pontos tratados na reunião foram basicamente dois: devolução da salarios cortados, na greve de 2009 e a questão do reequadramento das progressões funcionais, além de de outros pontos específicos, abordados na parte da manhã, na reunião com a presidenta do INSS, Elisete Berchiol.

A respeito da devolução dos salários de 2009, o governo informou que, em conversa com os senadores, chegou-se à conclusão que somente um Projeto de Lei, a ser aprovado no Congresso Nacional, é que será possível a soluçao desta impasse, tendo em vista que, segundo Mendonça, não há no momento respaldo legal, para administrativamente resolver esta questão, sob pena de os atuais gestores do Planejamento serem penalizado pelos órgão de controle e pelo TCU.

Assim sendo,sobre este ponto, foi dito que, tão logo seja assinado o acordo de greve, um Projeto de Lei de anistia da greve de 2009, será enviado ao Congresso.

Com respeito ao enquadramento de novos servidores, que perderam progressão funcional, quando da mudança de 12 para 18 meses, o governo informou que até o presente momento não tinha uam resposta concreta, em virtude das medidas de contenção de despesas anunciadas, posto os valores para esses enquadramento estavam orçados em cerca de 90 milhões anuais.Informou que até as 18 horas do dia 15.09, daria uma resposta acerda desta questão.

Outro medida bastante debatidas pelos sindicalistas, foi ON 06, que instituiu novos critérios para concessão de insalubridade. Sobre este ponto, ambas as entidades reivindicaram a imediata suspensão desta normativa, até que uma outra norma seja elaborada. Novamente Sérgio Mendonça, que não havia como dar a resposta naquele momento, pois precisaria debater com sua equipe interna, para tomada de posição a este respeito,mas dizendo preliminarmente ser contrário à suspensão da Norma, em virtude da mesma ser aplicada a toda Administração Pública Federal. Ainda assim, as entidades insistiram na necessidade da suspensão pelos prejuízos que a mesma já estava causando aos servidores do INSS.

Uma outra reunião foi marcada , para o dia 15.09, ás 18h, para continuidade das negociações, pois, disse os sindicalistas, não como reapresentar nenhuma proposta à categoria, se ainda não há consenso entre o que discutido com o Planejamento e a direção do INSS.Também ficou marcada uma outra reunião no INSS, às 10 h, na sede do INSS para continuidade do debate sobre os pontos que ainda estão pendentes, como a questão da 30 horas( embora o governo já tenha dito,que não haverá avanço sobre esta questão),detalhamento das modificações do REAT; plano de ação, além de outros pontos, imprescindíveis para que se formatar uma proposta para que seja apresentada aos fóruns estaduais e nacionais da categoria para apreciação.

Aproveitamos a oportunidade a para cobrar da secretária Adjunta, Dra. Edina, a respeito da inclusão de representações de servidores da Previdência, no Comitê Gestor da Carreira, proposto pelo próprio Planejamento, para a Carreira do Seguro Socia. Houve resistência da Secretária Adjunta,o que levará a CNTSS a reiterar mais uma vez que esta proposta já venha configurada a partir do Ministério da Previdência, conforme anuência do Ministro Gabas, na última reunião com os parlamentares do Distrito Federal, Èrica Kokay e Wasny de Roure, semana passada.

Reunião do PST

Às 19 horas, iniciou-se a reunião da Carreira da Previdência , Saúde e Trabalho. A CNTSS, CONDSEF e FENASPS,representadas por seu comando de greves, ocasião em que o Secretário Mendonça, que já havia informado na reunião do INSS, a notícia de que o governo estava adiamento para AGOSTO de 2016, primeira parcela do reajuste, que inicialmente estava prevista para JANEIRO de 2016;sendo informado também sobre as outras medidas restritivas de direitos, como a que extingue o Abono de Permanência, através de proposta de Emenda Constitucional que será enviada pelo Poder Executivo, o mais rápido possivel. As três entidades foram radicalmente contra tal medida , informado que trabalham intensamente no Congresso Nacional para este rejeite esta famigerada medida que prejudica tanto servidores.
As tres entidades exigiram do governo a reapresentação da proposta do governo com esas alterações para fosse submetidas aos fóruns da categoria para que esta possa deliberar. sendo reiterado pelas entidades o inconformismo pela alteração da proposta do anterior do governo e por isso, exigia-se que a média das aposentadorias fosse antecipada de de janeiro de 2017, para agosto de 2016, o que o secretário de debater internamente como governo para até quarta feira, dar retorno.

Reunião  em que discutiu a criação  de um Comtê Gestor para a Carreira do PST.. 14.09.15
Reunião em que discutiu a criação de um Comtê Gestor para a Carreira do PST.. 14.09.15

Comitê Gestor de Carreira do PST

À semelhança do que ocorre com a Carreira do Seguro Social, em que o próprio Planejamento propós a criação de um Comitê de Carreira, a CNTSS e as outras entidades reivindicaram a criação de um Comitê Gestor para a Carreira da Previdência, Saúde e Trabalho, para se possa uma reestruturação no PST, de tal forma que corrija os problemas históricos desta carreira, principalmente no que diz respeito as muitas especificidades do órgãos que a integram: Previdência, Saúde e Trabalho. Na próxima reunião, Mendonça informou que dara resposta a resta demanda, monstrando-se, a princípio, simpático a proposta.

Dias parados

Acerca dos dias parados, Sérgio Mendonça, informou que, tão logo sejam assinados os acordos de greves do INSS e do PST, esta questão será negociada como foi em todas as greves anteriores,.

CNTSS envia ofício a presidenta do INSS, Elisete Berchiol

O presidente da CNTSS, Sandro Cezar,enviará hoje, 15.09, ofício à presidenta do INSS, Elisete Berchiol, solicitando que esta se posicione oficialmente(nenhum presidente do INSS, o fez até agora), através de Nota Técnica,concordando com a redistribuição da maioria dos servidores do MPS para os quadros do INSS e  com a adesão destes à Carreira do Seguro Social. No ofício, Sandro Alex, reconhece como boa,  a iniciativa do Ministro Gabas em enviar o Aviso Ministerial 41, de 28 de maio de 2015, ao Ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, onde propõe uma  recomposição remunetória, poe meio de realiinhamento de tabelas, como uma forma de fazer a equiparação salarial com o INSS.

20150909_132526[1]
Dirigentes sindicais de alguns estados presentes na audiência com o Ministro Gabas, apoiando nossa luta
WP_20150909_001
Selma Martins, Marilda Ribeiro, Deputado Distrittal Wasny de Roure, Divino Caetano, Irineu Messias, presidenta Elisete Berchiol e João Torquato. Foi neste momneto que combramos uma posicionamento oficial do INSS, sobre nossa equiparação salarial e iinformamos sobre o pedidos de redistribuição para INSS, além de informar do abaixo-assinado nacional dos servidores do INSS, em nosso favor.

No entanto, o dirigente da CNTSS, explica  no ofício, que o verdadeiro anseio dos servidores do MPS, no país inteiro é a imediata equiparaçao salarial, via redistribuição para o INSS e pela adesão à Carreira do Seguro Social, através de termo de opção, bastando para isso que seja removido por parte do MPS, INSS e MPOG, todo todo e qualquer impedimento legal, afim de que os servidores do MPS, possam ganhar salários iguais aos dos servidores do INSS.

IMG-20150903-WA0029[1]
Dirigentes da CNTSS e comando de greve dos servidores do MPS, entregam cópias dos pedidos de redistribuição em massa para o INSS.Sendo recebido pelo Diretor Geral de Gestão de Pessoas do INSS, que se mostrou favorável a nossa luta pela adesão á Carreira do Seguro Social
Deputada Kokay, primeira à esquerda, defende junto ao ministro Gabas e presidente Elisete, nossa equiparação Salarial.
Deputada Kokay, primeira à esquerda, defende junto ao ministro Gabas e presidente Elisete, nossa equiparação Salarial.

A decisão de enviar surgiu, já no final da última reunião com o Ministro Gabas, em que estava presente Elisete Berchiol. Um grupo de servidores abordou-a,cobrando dela uma posição oficial do INSS, acerca desta discrepância salarial.Neste momento , Elisete cobrou que não havia nenhum ofício a respeito,nem da FENASPS e nem da CNTSS.. Sendo que, no dia 06 de julho de 2015, foi protocolizado no Gabinete dela, o ofício  128, da CNTSS,  de 03 de julho de 2015, no qual é apresentada a pauta oficial da greve do inss, e na referida pauta, consta o pleito da EQUIPARAÇÃO SALARIAL dos servidores do MPS  com os servidores do INSS. Mesmo o presidente Sandro, enviará no dia hoje um outro ofício solicitando a posição oficial do INSS sobre a EQUIPARAÇÃO SALARIAL, comunicando também o apoio irrestrito da CNTSS ao pedido nacional de redistribuição em massa dos servidores do MPS para o INSS, e abaixo-assinado nacional em que os servidores do INSS, cobra,  tanto da presidente do INSS, quanto do Ministro um maior empenho para solucionar esta discrepância salarial histórica que causa tambem a eles, grande contragmento, pois atuam no mesmo mesmo local de trabalho, exercem as mesmas tarefas, mas recebem salparios tão desiguais.

Reunião dia, 15.09, ás 10h no Auditório do MPS, em Brasília.DF

Reunião as 10 h, no auditório do prédio sede do MPS, para informes gerais nossa luta e avaliação sobre o movimento de greve e das reuniões com o governo sobre nossa pauta.

WP_20150827_019

WP_20150827_010

João Torquato, presidnete Sandro e Irineu Messias passando os informes das constantes negociações do o governo sobre nossa equiparação salarial
João Torquato, presidnete Sandro e Irineu Messias passando os informes das constantes negociações do o governo sobre nossa equiparação salarial