Eleições na GEAP: Chapa 1 prioriza defesa do servidor e um novo modelo de gerenciamento para a entidade

08.03.2017
Do portal  da CNTSS/CUT
Por José Carlos Araújo*

 

CNTSS/CUT APOIA REPRESENTANTES DA CHAPA 1 – NOSSA CHAPA PARA OS CONSELHOS DE ADMINISTRAÇÃO E FISCAL; ELEIÇÕES ACONTECEM EM 15 DE MARÇO E O VOTO PODE SER PELA INTERNET OU PRESENCIAL

Os beneficiários titulares da GEAP – Autogestão em Saúde têm um compromisso importante para a quarta-feira, 15 de março. Nesta data serão realizadas as eleições para escolha dos representantes para compor o CONAD – Conselho de Administração e o CONFIS – Conselho Fiscal para o período de 2017 a 2010. A CNTSS/CUT – Confederação Nacional dos Trabalhadores em Seguridade Social apoia a “Chapa 1 – Nossa Chapa” para a coordenação dos dois Conselhos. As eleições são diretas e secretas e o servidor pode votar por meio eletrônico (via internet), desde que esteja com cadastro atualizado no site da GEAP e obtenha a senha de votação, ou por meio presencial, devendo comparecer à Gerência Regional, no horário das 8h00 às 18h00, tendo consigo o CPF. 
A Confederação acompanhou desde o início o processo de preparação das eleições. O secretário de Organização da CNTSS/CUT e representante do SINDPREV BA – Sindicato dos Trabalhadores Federais em Saúde, Trabalho, Previdência e Assistência Social do Estado da Bahia, Raimundo Rodrigues Cintra, participou como titular da Comissão Eleitoral que definiu todos os trâmites para o pleito. Para facilitar o voto, a Comissão está disponibilizando no site das eleições (www.eleicoesgeap2017.com.br) todas as informações e também como os eleitores poderão testar o sistema de votação. A GEAP garante a assistência integral de cerca de 600 mil beneficiários. De acordo com dados da operadora, é a entidade que possui o maior número de idosos, com 45% da carteira de beneficiários composta por pessoas a partir de 60 anos.
Estão entre as prioridades da Chapa 1 a defesa dos interesses dos servidores e o combate aos reajustes abusivos que têm levado muitos a cancelar o Plano de Saúde. A estimativa é de que cerca de 50 mil pessoas já tenham cancelado por falta de condições para pagamento. A “Chapa 1 – Nossa Chapa” conta também com o apoio de outras entidades nacionais representativas dos trabalhadores: CONDSEF – Confederação dos Trabalhadores nos Serviços Público e Federal, FENADADOS – Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Processamento de Dados, Serviços de Informática e Similares, ANESG – Associação Nacional dos Empregados da GEAP e ANASPS – Associação Nacional dos Servidores da Previdência e da Seguridade Social.
Representando a CNTSS/CUT e os trabalhadores da Seguridade Social, Irineu Messias, do SINDSPREV PE – Sindicato dos Trabalhadores Públicos Federais em Saúde e Previdência Social de Pernambuco, concorre pelo CONAD. Messias foi presidente do Conselho de maio a junho de 2016, quando foi destituído pelo governo do ilegítimo Michel Temer. Durante seu mandato, travou intensa luta para reduzir o percentual previsto de reajustes do Plano de Saúde de 37,55% para 20%. Isto lhe causou a cassação do mandato e um processo na esfera cível de Brasília, com a alegação de gestão temerária e de ter optado por renúncia de receita. Posteriormente a Direção Executiva da GEAP definiu pelo cancelamento da ação.  Messias propõe agora derrubar o novo aumento de 23,44%.
 
Irineu Messias destaca que a proposta da “Chapa 1 – Nossa Chapa” é avançar nos trabalhos que vinham sendo feitos em defesa dos beneficiários e contra os reajustes abusivos propostos pelo governo. Para ele, o governo desenvolve um modelo de gerenciamento que penaliza os trabalhadores. A GEAP é financiada majoritariamente pelos servidores e mesmo nesta condição é o governo quem dita regras e que estabelece reajustes absurdos de uma forma que as pessoas estão sendo expulsas do Plano.
“É incorreto o governo aumentar de forma absurda as mensalidades porque não resolve os problemas da sustentabilidade da GEAP. É preciso de um modelo novo de gerenciamento. Nós pudemos demonstrar isto quando estávamos na direção da entidade. Reduzimos o reajuste de 37,55% para 20% e elaboramos um plano gerencial administrativo onde foi possível diminuir custo e otimizar o gerenciamento da GEAP. Nós queremos retornar para continuar o trabalho. Tivemos a coragem de enfrentar os governos para demonstrar que a GEAP é do trabalhador. Queremos seu apoio nesta eleição do dia 15. Avalie as nossas propostas”, conclui Messias.
Também representa a CNTSS/CUT na Chapa 1 – Nossa Chapa para a disputa do CONAD o diretor do Sindprev BA, Ricardo Mendonça. Conselheiro do CONAD no período de 2014/2017, Mendonça é servidor público federal do Ministério da Saúde BA e presidente do Conselho Estadual de Saúde da Bahia. Para a disputa do CONFIS, a Confederação conta com a participação de Maria das Graças de Oliveira. Servidora do Ministério da Saúde do Rio de Janeiro, Oliveira é ex-diretora do Sindsprev RJ. Maria da Graça já atuou junto ao Conselho Fiscal como titular de 2014/2017 e foi presidenta de 2014/2016. Outra representante é Deusa Maria Duarte, servidora do Ministério da Saúde do Distrito Federal e ex-diretora do Sindprev DF. Atuou como suplente do Conselho de 2014/2017.
Confira algumas propostas da Chapa 1 Nossa Chapa:
  • Continuar lutando contra os reajustes abusivos praticados pela GEAP
  • Pressionar para que a contribuição do per capita seja paritária: 50% do governo e 50% dos trabalhadores, buscando no poder Judiciário a efetivação dessa proposta
  • Gestão paritária da GEAP
  • Acabar com a coparticipação
  • Lutar pela mudança do atual modelo de sustentação financeira da GEAP
  • Melhoria da rede credenciada, principalmente nas cidades do interior
  • Criação de planos economicamente mais acessíveis para os servidores de salários mais baixos
  • Por uma GEAP mais competente e transparente
  • Maior flexibilidade na renegociação das dívidas dos beneficiários
  • Lutar pela implantação da rede própria da GEAP, principalmente nas capitais, com a finalidade de redução de custos
  • Acompanhar e fiscalizar o cumprimento do Programa de Saneamento Financeiro da GEAP
Para votar – Quem ainda não é cadastrado no site da GEAP deve se cadastrar para poder votar. Confira o passo a passo:
  • Acesse o site www.geap.com.br
  • Clique na opção Quero me Cadastrar (no canto superior à direita)
  • Selecione Beneficiário
  • Cadastre seu e-mail, CPF e crie uma senha (ela deve ter entre 8 e 14 dígitos)
  • Confirme sua senha
  • Confira seu e-mail, uma confirmação de cadastro será enviada para ele
  • Pronto! Você está apto a votar na Chapa 1 – Nossa Chapa
*Assessoria de Imprensa da CNTSS/CUT

*****
Fonte:http://www.cntsscut.org.br/destaques/2799/eleicoes-na-geap-chapa-1-prioriza-defesa-do-servidor-e-um-novo-modelo-de-gerenciamento-para-a-entidade

Anúncios

Eleições GEAP: Vote CHAPA 1, vote em quem provou ter compromisso e coragem na luta pelos interesses dos assistidos da GEAP e contra os reajuste abusivos!

06.03.2017
Por Irineu Messias

Dia 15 de março será o dia que  os assistidos da Geap terão a oportunidade, de pelo seu voto, reelegerem os atuais conselheiros do Conselheiros de Administração e do Conselho Fiscal, os quais durante 3 anos de mandato, provaram por suas firmes ações, o compromisso com os servidores e a resistência contra todos os governos em defesa dos interesses de todos os servidores que são assistidos pela GEAP no país inteiro.

panfleto-eleicao-conad-irineu
Nesses 3 anos, além de termo votados contra todos os reajustes abusivos que os governos impuseram contra os servidores, os conselheiros atuais que formam a chapa 1, lutaram para que o atual modelo de sustentação financeira da GEAP mudasse. E tentamos fazer isso, quando Irineu Messias, eleito presidente do Conselho de Administração(CONAD) tentou reduzir o reajuste de 37,55% para 20%, através da resolução 129/16, mas foi impedido pelo Governo Temer,  através do Justiça, não que  lhe  cassou o mandato de presidente, como suspendeu os efeitos da resolução 129/16. Bom é salientar, que  a resolução 129/16, tinha, além da diminuição do reajustes, outros  objetivos:
 
  • Iniciar debate, com todas as entidades nacionais (sindicais e associativas) dos assistidos da GEAP, para implementar um  novo modelo de sustentação  financeira;
 
  • Impedir que mais servidores saíssem da Geap, em função daquele reajuste abusivo; naquele  momento 23 mil já tinham saído; hoje, são 70 mil!
 
  • Implantar um programa Administrativo e Gerencial, com foco na recontratualização dos contratos de grandes prestadores de serviços da GEAP, em todo país, objetivando a economia de recursos, sem prejudicar a qualidade na prestação de serviços aos assistidos;
  • Implantar um novo modelo de Governança Corporativa, com a transformação de das diretorias, em uma Diretoria de Governança Corporativa, para os controles internos fossem mais rígidos. Este novo modelo seria não apenas implantados na Direção Executiva, em Brasília, mas em todas as Gerencias Estaduais da Geap, para que todos os níveis gerenciais não só se  apropriassem desse novo modelo, mas o aplicassem, através do emponderamento de todos os funcionários da GEAP, que tem ao longo da história da GEAP, vestido a camisa da empresa;
  • Implantação de um processo de monitoramento, semanal, para Direção Executiva e  Gerentes estaduais, de todas essas medidas administrativas e gerenciais e mensais, para o Conselho de Administração (CONAD) e Conselho Fiscal(CONFIS), por meio de relatórios claros e objetivos;
 
  • Implantação de um processo permanente de negociação, com todas as entidades (sindicais e associativas) nacionais e estaduais, com suas assessorias jurídicas e a assessoria jurídica da GEAP. Infelizmente este processo foi abortado, quando o mandato do presidente Irineu  Messias. Por causa da resolução 129/16, algumas entidades nacionais, (via suas assessorias jurídicas) como FENASPS, ANASPS além de vários sindicatos estaduais já estavam iniciando um processo de diálogo nesta direção; 
  • Atuação intensa junto ao Tribunal de  Contas da União (TCU) para que a liminar que impedia servidores voltarem a GEAP,fosse retirada, o que veio a acontecer em final de 2016, mas a estratégia desenhada para isso nasceu muito antes.
No Plano de Administrativo e Gerencial e administrativo, visava também a diminuição das estruturas estaduais da GEAP (que outras autogestões já fizeram) no afã de também economizar recursos e impedir as ingerências políticas regionais. Tudo isso seria levado também em conta,  o número de assistidos de cada estado, além de outras variáveis; 
A CHAPA 1 E  OS FUNCIONÁRIOS DA GEAP.
A respeito ainda aos funcionários, os atuais conselheiros procuraram estar mais perto deles, não só para melhor compreender a dinâmica da GEAP, mas entender seus pleitos e como eles, nesse novo cenário de tanta dificuldades da GEAP, poderiam contribuir mais um pouco. Encontramos não só apoio, mas sobretudo muita interação através da ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS EMPREGADOS E SERVIDORES DA GEAP -ANESG, que na pessoa do seu presidente, LEONARDO BARBOSA,atual conselheiro eleito e também integrante da CHAPA 1, NOSSA CHAPA, que durante esse mandato, contribuiu decisivamente para melhorar a interação dos representantes dos servidores com os funcionários da GEAP, através da defesa firmes os pleitos funcionários, mas isso o impediu de se preocupar com os destinos da GEAP. 
Neste sentido, os conselheiros representantes dos servidores, puderam perceber, a necessidade de cada vez a GEAP investir na educação continuada dos seus funcionários, mas também rediscutir a o Planos de Cargos e Carreiras, na perspectiva de profissionalizar melhor a GEAP, visto que as indicações políticas,na maioria das vezes, prejudicava a ascensão profissional dos funcionários. Quando isso acontecia, criava-se uma situação constrangedora: O funcionário promovido a algum gerencial,uma vez “exonerado’ do cargo, ela não podia voltar ao seu cargo de origem! Era sumariamente demitido, por causa de um plano de Cargos e Carreira ultrapassado e desumano, que os conselheiros eleitos, tentaram modificar esta injustiça e não conseguiram,mas que reiteram o compromisso,, sendo vitoriosa a CHAPA 1, lutarão para remover esta injustiça contra os funcionários. Se o funcionário tem, por algum motivo,deixar  de exercer qualquer cargo gerencial, deve ser garantido a ele o retorno à sua função de origem.
Outros temas sobre o corpo funcional  deve ser mais vezes debatido pelo conselho de Administração da GEAP, com o cuidado de não transpor seus limites estatutários. No recente Acordo Coletivo, por exemplo, os Conselheiros atuais, que são candidatos pela CHAPA 1, NOSSA CHAPA, IRINEU MESSIAS, ELIENAI RAMOS e RICARDO MENDONÇA, além, é claro, do conselheiro LEONARDO BARBOSA, tiveram um papel importante para que houvesse um desfecho que satisfatório, no que diz a aplicação do reajuste de 6,67%,que pode parecer pouco, mas que anteriormente, se apontava para reajuste zero. Neste momento, o Conselheiro Leonardo,que tão bem representou durante todo este mandato, os interesses dos funcionários, reivindicou (e foi atendido), que revogasse a resolução de aprovou reajuste zero(e foi revogada) e que a GEAP apresentasse algum índice de reajuste, para a apartir, tanto a ANESG como os sindicatos fizessem uma contraproposta, o que veio a ocorrer, chegando ao índice de 6,67% e mais 15% no vale-alimentação.
O compromisso da CHAPA 1 com os funcionários permanecerá o mesmo ,que se estabeleceu neste mandato que ora se finda. Os candidatos, IRINEU MESSIAS, RICARDO MENDONÇA, ELIENAI RAMOS, MANOEL LESSA, IVETE AMORIM, assim como os candidatos do CONFIS,SOCORRO LAGO, MARIA DAS GRAÇAS e DEUSA MARIA, junto com os candidatos Leonardo Barbosa e Hervécio Cruz, vão continuar no processo permanente de escuta dos pleitos dos funcionários e procurando debater medidas no CONAD, que possam, aprimorar o Plano de Cargos e Carreiras; cobrar da DIREX a implementação de um processo de educação continuada; qualificação profissional; melhoria nas condições de trabalho, além de outras providências que se fizerem necessárias para que CONAD esteja mais inteirado  com o que ocorre  com aqueles que são responsáveis por fazer a GEAP funcionar em prol de todos os assistidos da GEAP. A CNTSS, CONDSEF, ANASPS, FENADADOS com certeza irão interagir cada mais com as representações  dos funcionários da GEAP.
Percebe- se então que os   objetivos da Resolução 129/16, não  visava apenas impedir aquele reajuste abusivo de 37,55%,mas visava sobretudo repensar a GEAP para o bem maior de quem de fato a financia, que são os servidores .
Os atuais conselheiros, do CONAD/CONFIS, IRINEU MESSIAS, ELIENAI RAMOS, RICARDO MENDONÇA, LEONARDO BARBOSA, SOCORRO LAGO, MARIA DAS GRAÇAS e DEUSA DUARTE  merecem, no dia 15 de março,  o seu voto para continuarem ,com compromisso e coragem,  a tarefa que não  foi possível concluir nesses 3 anos de mandato.
A esses atuais conselheiros, somam-se outros candidatos valorosos, que irão reforçar a luta e o compromisso da CHAPA 1, NOSSA  CHAPA, que são; IVETE AMORIM(CONDSEF. MTE/Mato Grosso), MANOEL LESSA(ANASPS. INSS/RJ), HERVÉCIO CRUZ(ANESG/MG.  Representante dos funcionários da Geap).

Portanto, por essas e tantas outra razões vale a pena votar, no dia 15 de março,  na CHAPA 1, NOSSA CHAPA, pois o atuais conselheiros que a compõem, demonstraram   durante os 3 anos  de mandato , que é possível representar os interesses dos assistidos de modo compromissado, e sem medo de enfrentar quaisquer governos.

cartaz-eleicao-conad-15-de-marco
Dia 15 de março, VOTE na NOSSA CHAPA, vote na CHAPA 1!
****

Servidores fazem manifesto em frente ao Planejamento contra aumento considerado abusivo na Geap

04.07.2016
Do BLOG  DO SERVIDOR/CORREIO BRASILIENSE, 01.07.16
Por Vera Batista

Entidades que representam associados se reúnem nesta sexta (01/07), para definir próximas ações em defesa do plano de autogestão que assiste mais de 600 mil vidas. Hoje, um grupo de servidores cobrou do Ministério do Planejamento uma audiência para discutir a atitude do governo interino que reivindica na Justiça a imposição de um aumento de 37,5%, considerado abusivo. O grupo não foi recebido e vai encaminhar ofício cobrando agenda para tratar do tema

Enquanto segue indefinida a disputa judicial que avalia o percentual de aumento na Geap, associados e entidades representativas da maioria atendida pelo plano de autogestão se movimentam em defesa da assistência de mais de 600 mil vidas, informou a Confederação Nacional dos Trabalhadores no Serviço Público Federal (Condsef). Hoje, um grupo de servidores foi até a porta do Ministério do Planejamento cobrar uma audiência para discutir a atitude do governo interino que reivindica na Justiça a imposição de um aumento de 37,5%, considerado abusivo. O grupo não foi recebido e vai encaminhar ofício ainda nesta sexta-feira, 1º, cobrando agenda para tratar esse tema.

Um consenso entre servidores e Conselho Administrativo (Conad) da Geap já havia garantido uma resolução que reduzia o aumento para 20%. Dos assistidos, mais da metade está acima dos 50 anos e pertencem ao grupo com maior dificuldade para arcar com o aumento que o governo interino quer impor. Também nessa sexta, entidades que representam associados à Geap vão se reunir na sede da Condsef, em Brasília, para discutir as próximas ações em defesa do plano e seus beneficiários.

Desde sempre, a Condsef defende a sustentação e o fortalecimento desse modelo que historicamente atende servidores e seus dependentes com os preços mais competitivos do mercado de planos de saúde, informou a entidade. “Faz-se urgente continuar discutindo a situação dos planos de autogestão e buscar soluções definitivas para melhorá-los. É importante assegurar o pagamento de valores justos e a segurança de assistência médica aos servidores e seus dependentes naturais; isso até que o SUS (Sistema Único de Saúde) possa assumir integralmente sua missão de suprir a demanda por saúde da população brasileira”, destacou.

“A Condsef defende o diálogo com o objetivo de debater estratégias e soluções para que o plano continue prestando serviços levando em conta a realidade financeira de seus principais assistidos. Garantir o debate para ampliar a representatividade dos trabalhadores nas decisões centrais de gestão desses planos também se faz urgente”, finaliza a nota.
****
Fonte:http://blogs.correiobraziliense.com.br/servidor/servidores-fazem-manifesto-em-frente-ao-planejamento-contra-aumento-abusivo-na-geap/

SINDSPREV/PE:Entidades e assistidos realizam ato em defesa da Geap

01.07.2016
Do portal do SINDSPREV/PE

O protesto ocorreu em frente ao Ministério do Planejamento, em Brasília. O Sindsprev-PE foi representado no evento pelo seu dirigente Marcondes Carneiro. 

CLIQUE PARA AMPLIAR

Na manhã desta quinta-feira (30), os beneficiários da Geap Saúde realizaram ato em defesa do plano de autogestão. Organizada pela Fenadados, CNTSS-CUT e pela Condsef, a mobilização ocorreu em frente ao Ministério do Planejamento, em Brasília. Além de membros das entidades organizadoras, também estiveram presentes dirigentes da CUT, Fasubra, Anasps, SINDPD-DF, Sindsep-DF e Sindsprev-PE, que foi representado pelo diretor Marcondes Carneiro.
 
Os manifestantes cobraram a realização de uma audiência para discutir a atitude do governo ilegítimo de Temer que reivindica na Justiça a imposição de um aumento de 37,55%, considerado abusivo. O grupo não foi recebido e encaminhará ofício ainda nesta sexta-feira (1º) para o Ministério do Planejamento para cobrar uma reunião de debate sobre o tema. Também nesta sexta-feira, as entidades associadas à Geap vão se reunir na Condsef, na Capital Federal, para discutir as próximas ações em defesa do planos e dos seus assistidos. 
 
Os representantes das entidades denunciaram a posição do governo golpista de Temer de acabar com um plano de autogestão que está ampliando o compromisso com o bem-estar de seus assistidos, prejudicando pessoas de várias faixas etárias. 
 
Uma das primeiras ações do governo foi destituir da presidência do Conselho Administrativo da operadora um representante dos trabalhadores. Essa mudança havia equilibrado a correlação de forças entre os representantes dos servidores e do governo no Conselho, fortalecendo o compromisso social da Geap na condução de seus planos de saúde. 
 
Além disso, o governo anulou a resolução que reduziu o reajuste das mensalidades de 37,55% para 20%. Esta medida possibilitou a permanência de vários servidores nos planos de saúde da operadora. Hoje, cerca de 600 mil beneficiários não têm condições de arcar com o aumento abusivo. Foi feito um acordo com todas entidades sindicais que entraram com ações judiciais contra a Geap. Aquelas que formalizassem a retirada das ações seriam beneficiadas com a redução. 
 
O Sindsprev-PE vai continuar acompanhando o debate sobre a situação do plano de autogestão e defende uma maior representatividade dos servidores nas decisões da Geap. 

*****
Fonte:http://www.sindsprev.org.br/index.php?categoria=noticias_principais_01&codigo_noticia=0000003864&cat=noticias