BRESSER DIZ QUE MORO ENVERGONHOU A JUSTIÇA AO CONDENAR LULA

15.07.2017
Do portal BRASIL247

“Se havia uma quadrilha, ela estava no PMDB e no Planalto. Ao mesmo tempo, se tornou evidente que Lula não se envolvera pessoalmente na corrupção. Mas Moro não podia ‘trair’ seus companheiros, e condenou Lula. Ao fazê-lo, envergonhou a Justiça brasileira”, diz o professor Luiz Carlos Bresser-Pereira

A condenação de Lula era inevitável

Por Luiz Carlos Bresser-Pereira, em seu facebook

O juiz Sérgio Moro não tinha alternativa senão condenar Lula. O crime não existia, já que o ex-presidente não comprara nem tomara posse do famoso tríplex. Mas, Moro como líder da operação Lava Jato, e os procuradores da força tarefa de Curitiba adotaram conjuntamente uma estratégia política quando iniciaram essa operação.

Para obter o apoio da mídia e das elites econômicas, eles decidiram centrar fogo em Lula e no PT. A estratégia deu certo inicialmente, porque o PT realmente se financiara recebendo propinas.

Mas, passado mais de um ano, a estratégia começou a se desmoralizar, especificamente no momento em que a força tarefa declarou ser Lula o líder de uma quadrilha e usou uma apresentação em Power Point para “comprovar” tal afirmação.

Mais recentemente, a estratégia se esvaziou definitivamente, porque ficou claro que os outros partidos, especialmente o PMDB, e vários dos principais líderes desse partido e do PSDB estavam ainda mais envolvidos na corrupção do que os líderes do PT.

Se havia uma quadrilha, ela estava no PMDB e no Planalto. Ao mesmo tempo, se tornou evidente que Lula não se envolvera pessoalmente na corrupção. Mas Moro não podia “trair” seus companheiros, e condenou Lula. Ao fazê-lo, envergonhou a Justiça brasileira.

*****
Fonte:https://www.brasil247.com/pt/247/parana247/306533/Bresser-diz-que-Moro-envergonhou-a-Justi%C3%A7a-ao-condenar-Lula.htm

Pés de barro, ninguém defendeu Moro

24.03.2017
Do portal BRASIL247
Por LELÊ TELES

Geraldo Magela/Agência Senado

Ninguém apareceu para defender Moro contra a arbitrariedade da condução de Eduguim.

Ninguém, senhoras e senhores, nem os col(o)nistas da direita xucra.

Foi pau pra todo lado, no Globo, no Estadão, na Folha…

Noblat, Reinaldo Azevedo ( o Rola Bosta) e até Gilmar Mendes andam fulo da vida com a banalização das conduções coercitivas.

Moro teve seu dia de delegado Maurício Moscardi, aquele infeliz trapalhão que estragou o churrasco dos brasileiros e tomou bordoada a torto e a direito.

A carne é fraca, os holofotes seduzem, mas também ofuscam quem se aproxima demais.

Asas de ícaro.

A grande ironia de tudo isso é que há três dias Moro havia gravado um vídeo, em Maringá, jactando-se da fantasiosa unanimidade em torno da Lava Jato.

Aí ele já voava muito próximo do sol, asas resvalando nos raios ígneos.

Se autopromovendo na página facebúquica Eu Moro Com Ele, que a esposa fez para lisonjeá-lo, Moro disse contar “com o apoio da grande maioria, ou talvez da totalidade, da população para esses trabalhos que vem sendo realizados na Operação Lava Jato…”

Nada como um dia após o outro.

A esposa, nesse momento, deve ‘tá tendo um trabalho danado para conter o derretimento da cera nas plumas negras do árbitro arbitrário.

Palavra da salvação.

*****
Fonte:http://www.brasil247.com/pt/colunistas/leleteles/286689/P%C3%A9s-de-barro-ningu%C3%A9m-defendeu-Moro.htm