ANASPS: Paulo César, elogia a escolha, pelo CONAD, de Luciana Carvalho, como Diretora Executiva interina da GEAP

21.05.2018
Do portal da ANASPS,19.05.18
Por  Paulo César Régis de Souza*
 

Resultado de imagem para PAULO CESAR ANASPS FOTOS

Recentemente escrevi matéria sobre os últimos acontecimentos na Geap, maior operadora de plano de saúde do servidor público!
Na matéria a Anasps demonstrava sua satisfação em ver uma funcionária da casa assumir o importante cargo de diretora executiva, mesmo que interinamente, e torcia para sua efetivação.
Dois nomes foram indicados politicamente, com currículo rico de mercado e no entanto não ficaram, provavelmente por interferências políticas, pois até onde sabemos, com idoneidade e ilibada reputação. Portanto, somente a política poderia interferir.
Resultado de imagem para luciana rodriguez carvalho geap fotos
Luciana Rodrigues Carvalho, nova Diretora Executiva interina da GEAP
Vemos agora a possibilidade da efetivação da doutora Luciana Rodrigues Carvalho, com propostas concretas em melhorar a rede, buscar novos beneficiários, buscar os clientes inadimplentes.
A Anasps, representante de mais de 59 mil beneficiários da Geap, deseja sucesso a Luciana e apoia totalmente seu nome como diretora-executiva. Que os políticos e conselho (Conad) tenham o bom senso  de acabar com experiências e a efetive no cargo.”
*Paulo César Régis de Souza, é vice-presidente Executivo da ANASPS
******
Anúncios

ANASPS ANUNCIA QUE VAI ENTRAR COM AÇÃO JUDICIAL CONTRA AUMENTO DE 23,44% DA GEAP PARA 1º DE FEVEREIRO DE 2017

04.01.2017
Do blog ANASPS ONLINE, 22.12.16

O Conselho de Administração da GEAP Auto Gestão em Saúde aprovou, pelo voto de minerva, seja pelo voto do representante do Governo no Conselho de Administração, CONAD, em que os três representantes dos empregados votaram conta, um novo aumento de 23,44% a partir de 1º fevereiro de 2017 para os 600 mil participantes, tendo a Associação Nacional dos Servidores Públicos da Previdência e da Seguridade Social-ANASPS , a maior entidade dos servidores da Previdência, com 50 mil associados, anunciado que entrará com ação judicial contra o aumento que considera exorbitante e mito além da capacidade de pagamento dos servidores que tiveram aumento de 5% em 2016 e terão aumento de 5% em 2017.

São representantes dos servidores: Elienai Ramos Coelho, do INSS,  Irineu Messias de Araujo e Luiz Carlos Correia Braga. São representantes do Governo: Paulo a=Antenor de Oliveira, suplente de Senador e Secretário de Finanças de Tocantins, que deu o voto de minerva,  Luis Fernando Ferreira Costa e Rodrigo de Andrade Vasconcelos.

Em 2016, a ANASPS, não aceitou o aumento de 37,55% e entrou ação judicial que beneficiou seus associados, tendo o juiz definido que o aumento não poderia ser superior a 20%. Este foi o aumento repassado aos servidores da Previdência, associados da ANASPS. Os demais participantes da GEAP tiveram que pagar o aumento de 37,55%.

A GEAP continua com duas diretorias fiscais, espécie de “intervenção branca”, tanto na área de previdência , decretada pela PREVIC, como de saúde, decretada pela Agência Nacional de Saúde Suplementar – ANS considerando que a má administração , da GEAP não cumpriu os ajustes para superar as dificuldades operacionais de gestão.

Para o Vice Presidente Executivo da ANASPS, Paulo César Régis de Souza, desde o início do Governo Temer que uma nova diretoria desembarcou na GEAP, com plenos poderes para afastar os dirigentes anteriores, só que as pessoas indicadas pelo Gabinete Civil da Presidência da República não se comprometeram  em recuperar a GEAP. Mas agravar o seu quadro de dificuldades, impondo o aumento de 37,55%  que levou milhares de associados a se desligar e não se alteraram os padrões de qualidade na prestação dos serviços, pondo em risco o equilíbrio financeiro da entidade e sua sustentabilidade.

                Os representantes dos servidores do CONAD Manifestaram-se contra o aumento considerando que a gestão de GEAP não tem transparência, não havendo comprometimento com a melhoria da oferta e da qualidade dos serviços, além do que são desconhecidos os indicadores de eficiência na gestão administrativa.

Assinale-se que ANS reajustou de julho de 2016 a junho de 2017:

14,01% para a Amil.

13,47% para itaúseg Saúde, Sul América e Bradesco Saúde.

******
Fonte:http://www.anasps.org.br/anaspson-line-ano-xivedicao-no-1-521/

Previdência Social à deriva

21.07.2016
Do porta  CAPITAL NEWS, 18.07.16
Por Paulo César Régis de Souza*

Paulo César Regis de Souza - Artigo
Paulo César Régis de Souza

60 milhões de segurados contribuintes, 32 milhões de beneficiários e 15 milhões que procuram anualmente a Previdência, para requerer aposentadorias, pensões, auxílios, benefícios previdenciários, acidentários e assistenciais, perícia médica, contagem de tempo de serviço, reconhecimento de direitos pelo Cadastro Nacional de Informações Sociais (CNIS), reabilitação profissional, milhões de dependentes desses aposentados e pensionistas, urbanos e rurais em nossas 1.600 unidades de atendimento (inclusive PrevBarco) e pelo teleatendimento. Enfim, o Brasil necessita da Previdência.

No entanto, o Sr. Temer, mesmo na interinidade da Presidência da Republica, junto com seu estafe (uns na Lava-Jato e outros a caminho) decidiu acabar com o Ministério da Previdência Social, num desmonte sem precedente e acintoso na história administrativa do país.

Levaram o Ministério da Previdencia, a Previc, a Dataprev e o Conselho de Recursos para a Fazenda. O Ministério, para não haver problema de discussão com o Ministro Meireles sobre reforma, leia-se privatização. Muito embora, o sr. Meirelles exigisse a Previdencia para fazer política fiscal.

A Previc, para se apropriar de R$ 700 bilhões de reais de ativos e atrelar à política fiscal.

A Dataprev, empresa modelo, de excelência em seu trabalho com os melhores técnicos do mercado e sem déficit, para salvar o falido SERPRO.

O Conselho de Recursos, provavelmente porque por ali estão as dívidas dos maiores devedores da Previdência Social.

Mandaram o INSS, órgão com mais de 30 mil servidores, para o Ministério do Desenvolvimento Social e Reforma Agraria, antigo Ministério da Fome.

Agora vamos tratar com o ministro da Terra de sem terras, invasores de terras alheias, bolsa família, etc. comunidades aparelhadas pelo lulo petismo com a bolsa “mortadela”.

Querem fechar as 1.600 agências e postos do INSS para diminuir custos, e transferir os segurados da Previdência para as prefeituras. Um escândalo gigantesco e um vandalismo cruel.

Vão dilapidar nosso patrimônio de mais de 6.000 imóveis, nossa cultura previdenciária de balcão, nosso acervo e nossa cultura com toda história de Previdência desde a Família Real.

Tudo isso comandado pela Ministro da Casa Civil, Sr. Eliseu Padilha, que não entende de Previdência, nunca esteve num posto de benefícios, agência ou Superintendência do INSS, e agora dita normas, destrói tudo e joga no lixo nossa história e os direitos dos trabalhadores. Assusta–me seus gestos muito parecidos com os de JOSÉ DIRCEU, seu antecessor, hoje na cadeia.

O Sr. Ministro Eliseu conhecido nas rodas do baixo clero de Brasília como especialista em estradas, ônibus, portos e transportes.

O Sr. Ministro Eliseu também está dando ordens até da GEAP, plano de saúde do servidor, criado pelo INPS e que teve 800 mil beneficiários, hoje são menos de 560 mil, dos diversos ministérios.

Comandado por seis membros, sendo três do governo, três eleitos e um Diretor nomeado, mandou invadir a entidade, e para presidir o conselho de Administração nomeou quem ele queria. Tenho duvidas se é melhorar ou é a arrecadação de R$ 350,00 milhões mensais os R$ 2 Bilhões de pecúlio que existem em caixa. A GEAP Previdência numa prorrogação da 1ª, por gestão temerária.

Já chamaram os aposentados de vagabundos, bateram em velhinhas obrigando o cadastramento de quem tinha mais de 90 anos nas agências, um ministro tentou atropelar idoso, enfim, mas agora, tiraram do MPS o comando do navio e deixaram o “Titanic” à deriva, conosco dentro, segundo palavras do Ministro Eliseu, como baratas tontas, sem saber para onde ir, com muitos “icebergs” à frente.

Maquiavel não faria melhor, destruindo o Ministério. Nem a Grécia, na bancarrota, fechou o Ministério da Previdencia e lá só tem 10 ministérios.

No Brasil de Temer, Eliseu e Meirelles, eles acintosamente enganam os brasileiros com uma reforma de Previdência, só alcançando benefícios, quando sabemos que a reforma tem que ser feita no financiamento. A sonegação de 30% na arrecadação é um escarnio, não temos quem combata a sonegação, quem fiscalize, quem cobre, quem recupere crédito. Temos refis, renúncias e desonerações para os caloteiros e um leriado sobre idade mínima e bolha demográfica. Não é razão, há resistência a reforma.

Na Seguridade Social, não há déficit da Previdência. Não há déficit na Previdência Urbana. Se há na Previdência Rural, vamos resolver.

Queremos de volta o Ministério da Previdência, ele não é do Sr. Temer, nem do Sr. Eliseu, nem do Sr. Meirelles, ele é da sociedade brasileira, de gerações de brasileiros, ele é do segurado que paga para ter seu beneficio em dia como foi ate agora nos seus 93 anos da Lei Eloy Chaves.

Hoje somos o único país no mundo civilizado que não tem Ministério da Previdência Social. Por enquanto.

*Paulo César Régis de Souza é Vice-presidente Executivo da Associação Nacional dos Servidores da Previdência e da Seguridade Social-Anasps.
*****
Fonte:http://www.capitalnews.com.br/opiniao/previdencia-social-a-deriva/293722

ANASPS DESMENTE “INVASORES” DA GEAP REAFIRMA QUE O AUMENTO NÃO PODE PASSAR DOS 20% E QUE 60 MIL JÁ DEIXARAM APÓS ANÚNCIO DE 37,55%

04.07.2016
Do BLOG DO SERVIDOR/CORREIO BRASILIENSE, 29.06.16
Por Paulo César Régis de Souza

O vice- presidente Executivo da Associação Nacional dos Servidores da Previdência e da Seguridade Social, Paulo César Régis de Souza, desmentiu hoje os “invasores” da GEAP, que se apossaram da entidade, destituíram os dirigentes eleitos, a mando da Casa Civil, anularam o aumento de 20% e mantiveram o aumento da diretoria anterior de 37,55%, e revelou que mil participantes da GEAP já deixaram a entidade desde que foi anunciado o aumento de 37,55% em novembro de 2015.

A Anasps nunca apoiou os 37,55% propostos pelo ex-diretor executivo da GEAP. Na ata da reunião do Conselho de Administração-CONAD, de 17/11 está registrado: “A Conselheira Elienai também voltou pelo não aumento de 37,55%, declarando que seria aceitável o índice de 22% mas que o índice aprovado iria colocar a casa em risco, já que acredita que haverá grande evasão e também retirada de pessoas que não terão condições financeiras de arcar com o plano, além do fato de que antes da aprovação do percentual deveria ter sido apreciado o trabalho da consultoria Ernest &Young, o qual poderia trazer diversas soluções para a redução dos custos” da GEAP.

Paulo César reafirmou a disposição da Anasps de defender seus associados e a GEAP. “Não se entende como a Casa Civil esteja operando, mandando pessoas para se apoderar da GEAP, quando era o Ministério do Planejamento que vinha atuando na GEAP, por repassar o “per capita” dos servidores a entidade. Teme-se que seja pelos R$ 2 bi de ativos da GEAP Previdência e pelos R$ 3,5 bi de movimentação estimados para 2016 da GEAP Saúde. O foco deles é outro”.

Paulo César advertiu que a Anasps, como outras entidades, continuarão lutando no judiciário pelo retorno da diretoria indicada pelos servidores que tinham o comando do Conselho de Administração e que novas iniciativas serão desenvolvidas nos próximos dias junto ao Ministério Público Federal, o Tribunal de Contas da União e junto aos Procons estaduais. Lembrou que a Agência Nacional de Saúde está com diretoria fiscal na GEAP, enquanto a PREVIC mantem outro diretor fiscal na GEAP Previdência, e que a ANS não se manifestou sobre o aumento de 37,55%, apesar de que os demais planos privados aprovaram aumento de 20%.

Assinalou que “as últimas gestões da GEAP foram desastradas tanto na área de Previdência como na área de Saúde. Na Previdência, foram feitas aplicações em bancos que já faliram e que deram prejuízos à entidade. Na área de Saúde, os desmandos e má gestão resultaram em duas intervenções da ANS. A 1ª. intervenção foi levantada depois de a GEAP assumir compromissos de controlar suas despesas, o que não feito, acabando por resultar em 2ª. intervenção, em curso. O rombo é superior a R$ 400 mi e não são as pessoas que se apoderam da GEAP que vão resolver o problema”.

Paulo César assinalou também que a Anasps, em 17 de novembro de 2015, pediu ao diretor fiscal da ANS, na GEAP, senhor Jaime Carvalho Leite, explicações sobre suas ações na GEAP. Lembrou que a GEAP aumentará em 400% as contribuições em 2014 e em 16% em 2015 para reduzir os rombos de R$ 486 mi, mas que nada foi feito ao longo de 2015 o diretor mandou que consultássemos o site da ANS para vasculhar dados da GEAP, ou seja, não agiu com transparência e respeito. Na realidade o diretor fiscal e os “invasores” da GEAP, aos quais falta legitimidade, confundem a GEAP com seus próprios interesses, respaldados, ao que se informa, pelo gabinete civil da presidência da Republica. “A prepotência não rima com o Estado de Direito”, frisou.

Brasília, 01.07.2016

*****
Fonte:http://blogs.correiobraziliense.com.br/servidor/anasps-desmente-invasores-da-geap-e-reafirma-que-aumento-nao-pode-passar-de-20/