GREVE GERAL EM PERNAMBUCO DENUNCIOU OS PARLAMENTARES FEDERAIS QUE VOTARAM CONTRA OS TRABALHADORES

29.04.2017
Por Irineu Messias*

greve geral traidores

greve geral 2

greve geral traidores3GREVE GERAL CONDE DA BOA VISTA

folha pe greve geral Pe

Irineu Messias, dirigente do Sindsprev/PE 

****

Anúncios

Sindsprev-PE debate reivindicações dos servidores do INSS

25.03.2017
Do portal SINDSPREV/PE, 18.03.17

O diretor Luiz Eustáquio participou da reunião realizada ontem (21/03), em Brasília, com a direção do INSS

Nesta terça-feira, dia 21/03, dirigentes da CNTSS/CUT e de outras entidades nacionais reuniram-se em Brasília, com o presidente e o diretor de Gestão de Pessoas do INSS, respectivamente, Leonardo Gadelha e Thiago Andrigo.  O diretor do Sindsprev-PE, Luiz Eustáquio, participou do encontro que debateu entre outros temas Planos de Carreira, REAT e o Serviço Social e Reabilitação Profissional. 
 
No início da reunião, as entidades cobrarram novamente a necessidade de se discutir a carreira dos servidores do órgão com a instalação de um comitê que tenha a participação de dois representantes da CNTSS-CUT e da Fenasps. “Fortalecemos com ele o compromisso de até o mês de maio ser instalado o comitê com a representação dos trabalhadores, através dessas entidades nacionais. Colamos a importância que essa discussão seja feita de uma forma que garanta o direito dos servidores”, informou Luiz Eustáquio. 
 
Outro assunto destacado na ocasião foi a saúde e a qualidade de vida dos servidores que  desempenham suas funções em precárias condições de trabalho e sobrecarregados pela falta de pessoal para atender a demanda no INSS. Os sindicalistas apresentaram algumas sugestões e o diretor de Gestão de Pessoas ficou de analisá-las. Foi apresentado para os dirigentes um plano piloto da  Olimpíada do Conhecimento Previdenciário que é uma plataforma permanente de aprimoramento do corpo técnico institucional. 
 
REAT – O processo de reorganização do trabalho no INSS e a questão da jornada de trabalho – REAT foram assuntos amplamente debatidos no encontro. Sobre o REAT as entidades cobraram o funcionamento do Grupo de Trabalho (GT) do REAT que teve nomes indicados para sua composição desde o final do ano passado, mas que até agora não funcionou. Os dirigentes  expressaram a importância do GT que terá um papel de gerir a carreira, impedindo modificações arbitrárias no seu desenvolvimento.
 
Os dirigentes foram incisivos ao colocar que o GT do REAT precisa entrar em funcionamento para tratar de vários assuntos do órgão. “Foi uma discussão muita produtiva onde colocamos todas as dificuldades do servidor em atingir as metas, pois há um déficit existente hoje no quadro de trabalhadores em função da saída de muitos servidores do quandro funcional. Ficou acertado que a cada quinze dias haverá reuniões para se encontrar uma solução para este problema com a contratação de novos servidores”, destacou Luiz Eustáquio
 
 
Teletrabalho – O dirigentetambém confirmou a presença do Sindsprev-PE na próxima reunião do Teletrabalho, projeto baseado no modelo implementado no TCU, CNJ e AGU e que, segundo o governo, representará mais qualidade de vida, com trabalhos realizados 100% em plataforma digital, dentro ou fora das dependências do INSS.

O encontro acontecerá de hoje (22) até a sexta-feira, dia 24/03, em Mossoró, no Rio Grande do Norte, e o Sindicato será representado pelo diretor Antônio Paz e a servidora Alzira Soares (Alzirinha) da Agência do INSS do Corredor do Bispo. 

*****
Fonte:http://sindsprev.org.br/index.php?categoria=noticias_principais_01&codigo_noticia=0000004106&cat=noticias

SINDSPREV/PE:Especialistas discutem danos da Reforma da Previdência e mito do déficit

22.03.2017
Do portal do SINDSPREV/PE, 18.03.17

CLIQUE PARA AMPLIAR
Debate aconteceu no dia da celebração dos 28 anos de luta do Sindsprev-PE

 

O Sindicato dos Trabalhadores Públicos Federais em Saúde e Previdência Social de Pernambuco continua incansável na luta contra a aprovação da PEC 287, que prevê a implementação da Reforma da Previdência. Em continuidade aos seminários itinerantes de conscientização a respeito do ataque aos direitos dos trabalhadores, no sábado, 18 de março, o auditório do Centro de Formação e Lazer, no Recife, reuniu especialistas para discutir o tema. O seminário Reforma da Previdência e suas Consequências para o Servidor Público teve palestras ministradas pelo auditor fiscal Jorge Cezar Costa, da Associação Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal (Anfip), pelo assessor jurídico do Sindsprev-PE, Cláudio Ferreira, que também é presidente da Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil, pela secretária de Saúde do Trabalhador da CUT Nacional, Madalena Silva, e pelo deputado estadual Isaltino Nascimento, membro da comissão que discute a Reforma da Previdência na Assembleia Legislativa de Pernambuco. A mesa foi coordenada pelos dirigentes do Sindicato José Bonifácio do Monte e Luiz Eustáquio.

Muito mais do que detalhar as perversidades contidas na Proposta de Emenda Constitucional 287, que está em tramitação na Câmara dos Deputados, o debate serviu para esclarecer definitivamente a falácia do déficit da Previdência. ” Nós estamos fazendo seminários nas quatro gerências. Já houve em Caruaru e ainda faremos em Petrolina, Salgueiro e Garanhuns. O sindicato foi criado para defender o trabalhador e o acesso à informação é uma das nossas ferramentas de luta ” , disse o secretário geral do Sindsprev-PE, Luiz Eustáquio.

A Seguridade Social compreende um conjunto integrado de ações de iniciativa dos Poderes Públicos e da sociedade destinadas a assegurar os direitos relativos à saúde, à previdência e à assistência social. As fontes de financiamento, diferente do que está sendo divulgado na mídia e pelo Governo Temer, não se resumem a folha dos salários, mas incluem  cotas de previdência (REC/Faturamento, lucro e importação), concursos prognósticos (como as loterias) e a própria contribuição da União. Confira os números oficiais da Anfip a respeito da arrecadação nos últimos anos e da execução do orçamento da Seguridade Social (Clique para ampliar):
Clique para acessar o conteúdo da Anfip

CLIQUE PARA AMPLIAR     CLIQUE PARA AMPLIAR

CLIQUE PARA AMPLIAR     CLIQUE PARA AMPLIAR

CLIQUE PARA AMPLIAR

” É só analisar os números para perceber que não existe déficit. Existe, inclusive, superávit. O que está sendo divulgado esconde o desejo de continuar tirando o dinheiro que deveria ser investido em Seguridade Social para aplicar em outros programas ” , denunciou o auditor fiscal Jorge Costa. De acordo com a Anfip, um dos gargalos da seguridade está nas chamadas renúncias fiscais, ou seja, as isenções de contribuição com a previdência. O dinheiro que deixa de ser arrecadado do Sistema Integrado de Pagamento de Impostos e Contribuições das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Simples), do Microempreendedor Individual (MEI), do exportador rural, da desoneração da folha das empresas, do trabalho das donas de casa, das entidades filantrópicas (saúde e educação) e das olimpíadas deixa de ser investido. Somente em 2016, R$ 69,7 bilhões foram ignorados e a previsão para este ano é que mais 60 bilhões não sejam recolhidos por conta da renúncia fiscal. ” Na propaganda oficial não mostra que existem outras fontes além da folha de pagamento, mas elas existem. E ainda há a Desvinculação das Receitas da União (DRU), que tira recursos da Previdência para utilizar em coisas que não são da Seguridade Social , como o pagamento de dívidas públicas, por exemplo ” , continuou Jorge Costa.

Uma das propostas da Anfip para solucionar o problema é cobrar de quem deve. De acordo com a Procuradoria Geral da Fazenda Nacional, apenas 1% dos devedores respondem por 70% da dívida previdenciária e fiscal. São 12 mil pessoas físicas e jurídicas. ” O Governo fala muito em déficit da Previdência, o que já comprovamos que não é verdade. Ainda assim, se fosse real e cobrassem daqueles que devem ao sistema, o dinheiro já solucionaria 70% do déficit ” , ressaltou o auditor fiscal. 

Afora a falácia sobre o rombo no sistema, outra questão que precisa ser compreendida e que reforça os perigos da Reforma da Previdência é a própria expectativa de vida da  população. ” No Piauí, por exemplo, a média de vida dos homens é de 66 anos. Em Santa Catarina, a média das mulheres é de 78 anos. Essa diferença também é notada até entre bairros das grandes cidades. Como é que se quer igualar essa idade para homens e mulheres e, ainda, elevar a idade para conseguir a aposentadoria sem considerar que 20 municípios do Brasil tem uma expectativa de vida menor do que 65 anos ” , disparou o assessor jurídico Cláudio Ferreira. 

Clique e confira a expectativa de vida no país por estado e região

Como está prevista, a PEC prejudica, principalmente, três setores da população: mulheres, trabalhadores rurais e servidores que forem acometidos de enfermidades ou acidentes de trabalho. ” A sociedade não consolidou a igualdade de gênero nas ruas, trabalhos e escolas para exigir das mulheres a igualdade na contribuição. Ainda hoje, elas interrompem a atividade laboral por conta da criação dos filhos. Na área rural, mais de 50% do trabalho é informal. As pessoas não têm acesso porque fazem parte de entidades familiares e, com a aprovação da PEC, se exclui o pequeno agricultor, quem mais precisa do acesso à aposentadoria. E ainda tem o trabalhador que, porventura, tenha sido acometido por enfermidade que o impeça de trabalhar regularmente. Hoje, se você tiver um AVC e ficar paralisado, vai pedir o benefício da mesma forma como se tivesse trabalhado em condições normais. A PEC passa a exigir idade e tempo de contribuição para o cálculo da remuneração do benefício, o que acaba diminuindo o valor ” , detalhou. 
CLIQUE PARA AMPLIAR     CLIQUE PARA AMPLIAR

As consequência da Reforma da Previdência vão atingir os trabalhadores e a sociedade em geral, principalmente no quesito saúde pública. ” A questão dialoga com quem contribui, com quem contribuiu e com quem irá contribuir. Não é uma discussão simples. Ela ataca diretamente o Sistema Único de Saúde (SUS) e o Sistema Único de Assitência Social (Suas). Moramos em um país em que 85% da população não têm plano de saúde. Como vai ficar a situação de quem está em situação de rua, de vulnerabilidade social, de uso de álcool e outras drogas? Essas pessoas dependem do sistema. A PEC não ataca só a Previdência Social, mas inviabiliza o conceito de seguridade no país, que é publico ” , salientou o deputado estadual Isaltino Nascimento. Na segunda-feira, dia 20 de março, a comissão que discute a Reforma da Previdência na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) se reúne para elaborar uma estratégia de audiências públicas descentralizadas para levar o debate também ao interior do estado.

Para a Central Única dos Trabalhadores (CUT), o problema vai além. ” Tudo que está acontecendo é para privilegiar os fundos de pensões, os empresários e o capital especulativo. Precisamos, urgentemente, da recriação do Ministério da Previdência e da retirada da PEC 287. Quem mais vai sofrer é a classe trabalhadora, as mulheres, os servidores públicos e os trabalhadores rurais ” , disparou a secretária Madalena Silva. Afim de reverter a atual conjuntura, que tende a piorar, ainda há caminhos. ” Temos que levar a reflexão sobre a Reforma da Previdência para casa e fazer essa conversa nos espaços onde estivermos. A mídia impõe que há necessidade de reforma política e trabalhista, mas o povo precisa entender o que, de fato, está em jogo. A Reforma da Previdência não começou agora. A revisão de benefícios já está em curso e vai excluir milhares de trabalhadores que estão doentes, muitas vezes devido ao próprio ambiente de trabalho. Agora, a gente precisa ter uma ação mais contundente e o diálogo com os deputados é imprescindível. A Seguridade Social é o prato mais suculento que o Brasil tem. Defendê-la é defender vida dos trabalhadores e trabalhadoras ” , convocou.

ENTENDA O MITO DO DÉFICIT DA PREVIDÊNCIA SOCIAL

O seminário Reforma da Previdência e suas Consequências para o Servidor Público reuniu servidores públicos e representantes de diversas entidades sindicais, como o Sindicato dos Agentes Comunitários de Saúde e Combate as Endemias do Estado de Pernambuco (Sindacs-PE), o Sindicato dos Servidores Públicos Federais no Estado de Pernambuco (Sindsep-PE), o Sindicato dos Metalúrgicos, o Movimento de Moradia Popular de Pernambuco, o Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Passira, o Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Município de Jaboatão dos Guararapes, entre outros.

SEMINÁRIOS ITINERANTES
Em continuidade às ações de conscientização desenvolvidas pelo Sindsprev-PE a respeito da Reforma da Previdência, na próxima quarta-feira, dia 22 de março, haverá mais uma edição do seminário itinerante. Desta vez, as palestras serão ministradas na Agência da Previdência Social (APS) de Petrolina, no Sertão, a partir das 10h30. O advogado do Sindsprev-PE, Fabiano Parente, e a economista Jaqueline Natal, do Departamento Intersidical de Estatística e Estudos Socioeconômicos, vão esclarecer para os servidores os detalhes e danos previstos na PEC 287, que está em tramitação na Câmara dos Deputados. A atividade será aberta aos servidores públicos e não é preciso fazer inscrição previamente.

*****
Fonte:http://sindsprev.org.br/index.php?categoria=noticias_principais_01&codigo_noticia=0000004102&cat=noticias

Chapa 01 – NOSSA CHAPA é vencedora das eleições para Conad e Confis da GEAP

16.03.2017
Do portal do SINDSPREV/PE
Da Redação

Irineu Messias com os representantes das entidades que apoiaram a Chapa 1- NOSSA CHAPA

A chapa eleita para o Conad obteve 61,81% dos votos válidos e a chapa eleita para o Confis conseguiu 61,28% dos votos válidos. Após a divulgação oficial desse resultado, feito pela Comissão Eleitoral, começa a ser concedido o prazo de dois dias úteis para recebimento de recursos, os quais serão julgados pela própria comissão em até três dias úteis imediatamente posteriores ao encerramento do prazo de recursos. Ao fim do processo, a Comissão Eleitoral encaminhará para a Geap os nomes dos representantes eleitos, titulares e suplentes, para os Conselhos de Administração e Fiscal.
 
A eleição, que teve a participação de aproximadamente 4, 6 mil, foi realizada na quarta-feira (15), das 8h às 18h,  e ocorreu por meio eletrônico (Internet) e de forma presencial. A votação movimentou as Gerências Regionais da operadora em todo o país e definiu representantes dos servidores para o triênio 2017-2020. A CNTSS/CUT, CONDSEF, ANASPS, FENADADOS, ANESG e seus sindicatos filiados apoiaram a Chapa 01 ” Nossa Chapa ”  para o Conad e o Confis. 
 
O dirigente do Sindsprev-PE Irineu Messias concorreu ao Conad para dar continuidade ao trabalho que já realiza na defesa dos interesses dos servidores e no combate aos reajustes abusivos praticados pela Geap. De acordo ele, a meta principal da Chapa 1- ” Nossa Chapa ” é garantir a sustentabilidade da Geap com partipação direta dos representantes dos associados, visando  assegurar planos de saúde de qualidade com preços acessíveis, condizentes com a realidade dos servidores.
 
A Chapa 1 conquistou o reconhecimento da categoria pelo excelente trabalho realizado anteriormente, mas que lamentavelmente foi interrompido pelo governo Temer, inclusive com a cassação e perseguição do então presidente do Conad, Irineu Messias.
 
Confira o resultado

CLIQUE PARA AMPLIAR

CANDIDATOS DA CHAPA 1 ELEITOS PARA O CONAD E CONFIS – TRIÊNIO 2017-2020
cartaz-eleicao-conad-15-de-marco
 
CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO
 
Irineu Messias de Araújo – CNTSS/CUT/Sindsprev/PE
– Ricardo Luiz Dias Mendonça – CNTSS/CUT/BA
– Manoel Ricardo Palmeira Lessa – Anasps/RJ
– Elienai Ramos Coelho – Anasps/DF
– Ivete Vicentina de Amorim – Condsef/MT
– Leonardo Alexandre Silveira Barbosa – Anesg/MG
 
CONSELHO FISCAL
– Socorro Lago – Fenadados/MA
– Hervecio Cruz – Anesg/MG
– Maria das Graças de Oliveira – CNTSS/CUT/RJ
– Deusa Maria Duarte – CNTSS/CUT/DF
PROPOSTAS DA CHAPA 1 PARA O CONAD E CONFIS
 
– Continuar lutando contra os reajustes abusivos praticados pela Geap
– Pressionar para que a contribuição do per capita seja paritária: 50% do governo e 50% dos trabalhadores buscando a efetivação da proposta no Poder Judiciário
– Gestão paritária da Geap
– Acabar com a coparticipação
– Lutar pela mudança do atual modelo de sustentação financeira da Geap
– Melhorar a rede credenciada em todo o país, principalmente nas cidades do interior
– Criar planos economicamente mais acessíveis para os servidores de salários mais baixos
– Dar maior flexibilidade na renegociação das dívidas dos beneficiários
– Lutar pela implantação da rede própria da Geap, primeiramente nas capitais, com a finalidade de reduzir custos
– Acompanhar e fiscalizar o cumprimento do Programa de Saneamento Financeiro da Geap
– Por uma Geap competente e mais transparente
*****

Encontro Nacional da CNTSS no Recife definiu mobilizações para 8 e 15 de março

13.02.2017
Do portal do SINDSPREV/PE, 10.02.17

A CNTSS se reuniu com sindicatos para traçar estratégias de articulação para este ano. Segundo o presidente da Confederação, Sandro César, se o governo continuar se recusando a negociar com a categoria, pode haver greve.

CLIQUE PARA AMPLIARCLIQUE PARA AMPLIAR

O primeiro Encontro e Plenária Nacional da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Seguridade Social (CNTSS) aconteceu, nesta sexta-feira (10/02) e sábado (11/02), no Centro de Formação e Lazer (CFL) do Sindsprev-PE, no Recife. O encontro reuniu 80 representantes de sindicatos de sindicatos da base do Rio de Janeiro, Alagoas, Paraíba, Bahia, Goiás, Distrito Federal, Mato Grosso, São Paulo, Maranhão e Pernambuco.

A CNTSS e as entidades sindicais reuniram-se para estabelecer os próximos passos na luta contra as decisões arbitrárias do governo golpista de Michel Temer, incluindo a Extinção do Ministério da Previdência Social e a implantação da Reforma da Previdência. 

Entre os encaminhamento definidos, estão as manifestações do dia 8 de Março: Dia Nacional de Mobilizações sobre os prejuízos da reforma da Previdência para as mulheres. E no dia 15 de março: Dia Nacional de Paralisação contra a reforma da Previdência.

O Sindsprev-PE vai realizar seminários regionais e mobilizações nos locais de trabalho em todo o estado, visando esclarecer e protestar contra a reforma da Previdência do governo federal e organizar os preparativos para a greve do dia 15 de março. 

Após a abertura feita pelo presidente da CNTSS, Sandro César, as atividades começaram, na manhã da sexta ((10), com a análise da conjuntura política e econômica do país com o professor José Henrique Artigas Godoy, doutor em Ciências Políticas  pela Universidade de São Paulo (USP) e docente da Universidade Federal da Paraíba.

A palestra detalhou as perspectivas, alternativas e responsabilidades dos cidadãos e, particularmente, dos movimentos sociais organizados e centrais sindicais no combate às reformas antissociais do governo Temer e na recomposição da ordem democrática e das instituições no país.

” Durante o transcurso deste ano, teremos grandes debates que colocam em risco o conjunto das liberdades e direitos construídos com muita luta durante os últimos 30 anos. Neste momento, nós temos a possibilidade de ver uma grande retroação no conjunto dessa plataforma de direito e, certamente, os sindicatos e centrais têm que estar preparados para resistir frente a essa pressão conservadora que favorece as classes dominantes e prejudica os trabalhadores, mas também para preparar uma reação no sentido de recomposição das forças progressistas e da garantia de preservação dos direitos da classe trabalhadora ” , destacou o especialista. 

Ainda segundo Godoy, a crise econômica, política e institucional que assola o Brasil só será revertida através da luta dos trabalhadores. ” Sinceramente, acho que em um prazo curto nós teremos muita dificuldade de reação, mas acredito na possibilidade das classes trabalhadoras retomarem a posição progressista que vinham atribuindo aos governos de Lula e Dilma. Claro, é preciso muita organização e preparação para a luta.

Temos que estar preparados para as responsabilidades que o sindicalismo terá porque não será apenas para o primeiro semestre de 2017, mas para os próximos anos. Não tenho dúvida de que nós retomaremos nossos direitos e conseguiremos imprimir uma reforma democrática e popular para o nosso país, seja no âmbito econômico ou na garantia de uma participação mais equitativa dos trabalhadores na distribuição do poder político ” .

Para o coordenador do Sindsprev-PE, José Bonifácio do Monte, o ano será intenso, mas haverá reação. ” Estamos reunidos para podermos fazer a luta dos trabalhadores. Esse ano vai ser difícil por conta das reformas que o Governo Federal está implantando, falo da trabalhista e da previdência, mas também por conta do desemprego. Os especialistas políticos e econômicos disseram que a taxa já é de 22% e pode chegar a mais de 30% até o final do ano. A perspectiva é muito ruim, mas estamos nos organizando para deixar o movimento cada vez mais forte ” , declarou.

CLIQUE PARA AMPLIAR
Irineu Messias, durante o evento da Cntss/CUT

CLIQUE PARA AMPLIAR

Os participantes foram divididos em dois grupos: Um da Saúde e do Trabalho e outro do INSS e da Previdência. Após os debates foram apresentadas propostas para a pauta unificada de reivindicações da Campanha Unificada dos Servidores Federais, que deve ser válida para os anos de 2018 e 2019. No segundo momento (sábado) as propostas de cada grupo foram discutidas e aprovadas por todos os participantes.

CLIQUE PARA AMPLIARCLIQUE PARA AMPLIAR
 
ENTREVISTA// SANDRO CÉSAR 
Presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Seguridade Social 

– Qual a relevância de plenárias como esta para a atual conjuntura do país?
Sabemos da dificuldade do cenário político e econômico que o Brasil atravessa, entretanto, é papel da Confederação e dos seus sindicatos organizar os trabalhadores para fazer a luta necessária para garantir o avanço dos direitos da categoria. A perspectiva é que possamos sair daqui organizados para fazer o enfrentamento da Reforma da Previdência, bem como iremos elencar estratégias necessárias para lançar a campanha salarial do ano de 2017. Se não houver avanço no processo de negociação, com certeza vamos tomar medidas mais drásticas.

– De acordo com o professor doutor José Artigas, não há previsão favorável a curto prazo. Podemos nos preparar para uma possível greve? 
Com certeza. Óbvio que não é o desejo dos trabalhadores, mas é uma necessidade frente ao endurecimento do outro lado, do lado do governo, que muitas vezes se nega a negociar. No caso específico da categoria federal, em janeiro deste ano, acabou o acordo firmado nos últimos dois anos e não temos garantia de nada firmado para o ano que vem. Vamos nos organizar a fim de coquistar a reposição da inflação e o plano de carreiras.

– Qual o maior desafio para os próximos meses?
O grande desafio para o servidor público  este ano é barrar a Reforma da Previdência, é a nossa luta chave. Temos que impedir a aprovação dessa reforma. Ela retira direito dos trabalhadores e coloca o Brasil em uma situação extremamente complicada, como o único país do mundo que terá aprovado uma Reforma na Previdencia em que a expectativa de benfício é pós-morte. Os trabalhadores têm que ter ciência do que está acontecendo, e eu acredito que boa parte tem e já está debatendo o tema. Vamos combater a Reforma da Previdência para as pessoas terem direito à aposentadoria.
 

CONFIRA A PROGRAMAÇÃO NA ÍNTEGRA
Sexta-feira (10.02)

Manhã
– Mesa de Abertura

Presidente da CNTSS – Sandro Alex
 
– Análise de Conjuntura
José Henrique Artigas Godoy
Tarde
– Debate na Plenária
Instalação dos encontro dos setoriais da CNTSS
1 – INSS e Previdência 
Convidados: Presidente do INSS – Leonardo Gadelha
Diretor do Sindsprev – Irineu Messias
 
2 – Ministério da Saúde e Trabalho
Convidados: Diretor de Gestão de Pessoas do Ministério da Saúde – Pablo Leite
 
– Levantamento de Propostas
Levantamento das Estruturações e os Impactos nos Processos de Trabalhos nas Políticas da Seguridade Social no Atendimento à População e na Vida Funcional dos Servidores
 
– INSS e Desmonte do INSS
– Extinto o Ministério da Previdência
– Ministério da Fazenda e Desenvolvimento Social e Agrário 
– Conselho Nacional: Recursos e as Juntas de Recursos do Seguro Social
– Ministério da Saúde e os Nems
– Anvisa,  Departamento Nacional de Auditoria do SUS (Denasus) e Saúde Indígena
 
Sábado (11.02)
 
Plenária Nacional do Setor Federal
9h – 10h – Organização do Setor Federal na CNTSS
10h 11h – Geap – Irineu Messias
11h -12 – Levantar os fóruns nacionais
Debater a respeito da representação da CNTT/CUT nos fóruns
Apresentação das pendências das plenárias do Recife
12h – Debate e Plenária
Encaminhamentos finais:

Dia 8 de Março: Dia Nacional de Mobilizações sobre os prejuízos da reforma da Previdência para as mulheres.
Dia 15 de março: Dia Nacional de Paralisação contra a reforma da Previdência.

****
Fonte:http://sindsprev.org.br/index.php?categoria=noticias_principais_01&codigo_noticia=0000004050&cat=noticias

Servidores protestam contra a PEC 55 no Dia Nacional de Mobilização

11.11.2016
Do portal do SINDSPREV/PE

Funcionários do Núcleo Estadual do Ministério da Saúde (Nems-PE), no prédio da Sudene, pararam as atividades na manhã desta sexta endossando o movimento articulado pelas centrais sindicais

CLIQUE PARA AMPLIAR

Dentro das atividades nacionais contra a PEC 55, que prevê congelamento dos investimentos em serviços essenciais, como saúde, educação e assistência social por 20 anos, os servidores do Núcleo Estadual do Ministério da Saúde (Nems-PE) cruzaram os braços na manhã desta sexta-feira, dia 11 de novembro. Encabeçado pelo Sindicato dos Trabalhadores Públicos Federais em Saúde e Previdência Social de Pernambuco (Sindsprev-PE) e pelo Sindicato dos Servidores Públicos Federais no Estado de Pernambuco (Sindsep-PE), o movimento reuniu os funcionários para um café da manhã de conscientização no hall do prédio da Sudene.

A Proposta de Emenda Constitucional 55 está em tramitação no Senado e deve ser votada em dezembro. Ela já foi aprovada, como PEC 241, no Congresso Nacional. ” Este é o momento dos trabalhadores reagirem. Não é só pelos previdenciários ou profissionais da saúde, é por todos os brasileiros. A luta contra essa PEC é responsabilidade de todos. Estamos convocando a categoria e indo aos locais de trabalho explicar para a população os absurdos previstos pela PEC. Temos que fazer algo e juntos somos mais fortes ” , explicou o coordenador geral do Sindsprev, José Bonifácio do Monte.

Se aprovada, a PEC vai afetar diretamente a vida de todos os brasileiros. Com a limitação dos investimentos, o salário dos professores ficará congelado, o acesso, a construção e até a manutenção de escolas, creches e universidades serão ameaçados. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), a entrega de medicamentos gratuitos,  programas, como o Saúde da Família, e as campanhas de vacinação também serão afetados deixando a população à mercê da própria sorte. Considerando os direitos dos trabalhadores, a ideia pretende acabar com o FGTS, com o 13º Salário, as licenças maternidade e paternidade e demais auxílios. Também está previsto o aumento da jornada de trabalho para 12h. O governo golpista de Michel Temer pretende ainda, através da Reforma da Previdência, aumentar a idade mínima para aposentadoria de homens e mulheres para 65 anos.

” Nós temos a Consolidação das Leis Trabalhistas, uma das ferramentas de proteção ao povo, e estão querendo rasgá-la para favorecer os empresários. É preciso que todos despertem enquanto é tempo e venham para a luta. O que estão fazendo com o Sistema Único de Saúde (SUS) é criminoso. É preciso ter cuidado com a Atenção Básica, com os trabalhadores e com o povo. Hoje, do jeito que está, mesmo quem pensa diferente não pode ser superior aos fatos ” , concluiu a coordenadora do Sindsep, Graça Oliveira.

CLIQUE PARA AMPLIAR     CLIQUE PARA AMPLIAR

CLIQUE PARA AMPLIAR     CLIQUE PARA AMPLIAR

CLIQUE PARA AMPLIAR     CLIQUE PARA AMPLIAR

CLIQUE PARA AMPLIAR 

******
Fonte:http://sindsprev.org.br/index.php?categoria=noticias_principais_01&codigo_noticia=0000003974&cat=noticias

SINDSPREV/PE: Dia Nacional de Mobilização contra a PEC 55 e Reforma da Previdência

11.11.2016
Do portal do SINDSPREV/PE, 10.11.16

CLIQUE PARA AMPLIARCLIQUE PARA AMPLIAR

Assembleia decidiu pela paralisação
durante uma hora na próxima sexta

Na tarde desta quarta (09/11), em seu auditório, o Sindsprev-PE realizou assembleia específica para deliberar sobre as mobilizações da categoria em Pernambuco na luta contra a PEC 55, reforma da Previdência e outros ataques do governo Temer.

Por unanimidade, os participantes aprovaram os seguintes encaminhamentos: 

Na próxima sexta-feira (11/11), realizar atos públicos na Gerência Recife do INSS, no NEMS e em várias APS da Região Metropolitana do Recife e do interior do estado, com paralisação das atividades durante uma hora, das 10 às 11h da manhã.

– A partir da segunda-feira, dia 14/11, reuniões com os servidores nos locais de trabalho para discutir as mobilizações

– No dia 18/11, das 9 às 17 horas, no auditório do sindicato, reunião com os delegados sindicais de base, aberta a todos os filiados

– Afixação de cartazes nos locais de trabalho com esclarecimentos sobre a retirada de direitos dos servidores e dos segurados.

CLIQUE PARA AMPLIAR

O desenrolar da assembleia

A mesa foi composta pelos dirigentes José Bonifácio, Irineu Messias, Luiz Eustáquio e Jeane Souza.  Na abertura, o coordenador geral José Bonifácio informou sobre as visitas realizadas pela direção do Sindicato nos diversos locais de trabalho do Recife e alguns municípios do interior.

Em seguida o diretor Irineu Messias apresentou uma breve análise de conjuntura, destacando os ataques do governo golpista desde a extinção do Ministério da Previdência até a aprovação da PEC 241 pela Câmara Federal, que agora será votada no Senado como PEC 55/16.

Irineu avaliou que, com as medidas de desmonte do Estado, “o governo Temer deu um tiro mortal nas políticas públicas, nos direitos sociais e trabalhistas, prejudicado os servidores públicos e demais trabalhadores”.

Entre várias afrontas do governo, apoiadas pela mídia e pelo Judiciário, ele destacou o congelamento de salários, suspensão da reestruturação das carreiras e concursos públicos; ameaça de demissão, golpe na Geap, desmantelamento das juntas de recursos, além do desmonte do INSS e do SUS.

CLIQUE PARA AMPLIARCLIQUE PARA AMPLIAR

O secretário geral do Sindsprev PE, Luiz Eustáquio, reforçou a gravidade do estado de exceção que foi instalado no Brasil, afirmando que “o governo Temer está mudando a Constituição Brasileira, com a destruição da CLT e dos serviços públicos, especialmente o SUS que será reduzido para atender somente indigentes”.

Eustáquio alertou que “a população ainda está muito atordoada e dividida pelo choque do golpe” devido ao bombardeamento da mídia com tantas notícias de corrupção manipuladas para dar sustentação às medidas de “ajustes” do governo, que na realidade só prejudicam os trabalhadores e os segmentos desfavorecidos da sociedade.

Os dois dirigentes do Sindsprev apontaram a necessidade de convencer a nossa base, demais categorias de servidores, usuários dos serviços públicos e outros segmentos sociais que “é preciso voltar a acreditar na nossa unidade e capacidade de luta para enfrentar o governo golpista”. E citaram o exemplo da resistência dos estudantes com as ocupações das escolas públicas em todo o país.

No debate aberto, vários participantes apresentaram informes dos seus locais de trabalho, suas opiniões e propostas.

CLIQUE PARA AMPLIARCLIQUE PARA AMPLIARCLIQUE PARA AMPLIAR
                                                                                                                                                                                        

*******
Fonte:http://sindsprev.org.br/index.php?categoria=noticias_principais_01&codigo_noticia=0000003973&cat=noticias