Preso, Lula realiza proezas que não realizava em liberdade

01.05.2018
Do BLOG DA CIDADANIA
Por Eduardo Guimarães

O primeiro de maio de 2018 foi diferente de todos os outros. Pela primeira vez em mais de trinta anos, TODAS as centrais sindicais fizeram um ato comemorativo conjunto. CUT, Força Sindical, CTB, NCST, UGT, CSB e Intersindical dividiram o mesmo palanque e pediram #LulaLivre.

Isso ocorreu pouco após PT, PDT, PSB, PCdoB e PSOL superarem, pela primeira vez, suas divergências e criarem uma “frente de esquerda” para a eleição de 2018.

Para que se possa mensurar o verdadeiro milagre político produzido pela prisão arbitrária desse homem, a comoção que se produziu, basta comparar o ato da Força Sindical de 2018 com o de 2016.

O Ato da Força Sindical no 1º de Maio de 2016 teve placas com a frase “Tchau, querida!” em alusão ao processo de impeachment da então presidente Dilma Rousseff, apoiado pela central sindical.

Dois anos depois, tudo mudou. A reforma trabalhista e a retirada de direitos dos trabalhadores materializadas pelo golpe colocaram Paulinho da Força, o eterno “dono” da central sindical, contra a parede.

O apoio a Lula tornou-se obrigatório. O recuo mostra uma situação impensável: a prisão de Lula o fortaleceu muito mais politicamente e uniu a esquerda e até o movimento sindical, eternamente fragmentado.

Trecho de artigo do presidente da CUT, Wagner Freitas, na Folha de São Paulo de 1º de maio, explica a razão do recuo da Força Sindical:

A taxa de desemprego alcançou escandalosos 13,1% no primeiro trimestre de 2018, o que equivale a 13,7 milhões de homens e mulheres sem recursos nem sequer para as despesas básicas. Em 2017, 12,3 milhões de lares usaram lenha ou carvão para cozinhar —1,2 milhão deixaram de usar gás de cozinha só no ano passado por causa dos reajustes do botijão, que acumula alta de mais de 16% no ano, descontada a inflação. Por outro lado, os 10% mais ricos se apropriaram de 43% da renda total do país, enquanto que os 10% mais pobres ficaram com míseros 0,8% da renda nacional

Em 2014, pouco antes de começar a sabotagem de Eduardo Cunha, Aécio Neves e da Lava Jato contra a economia brasileira – os dois primeiros agentes paralisando as votações no Congresso e o terceiro paralisando o setor mais dinâmico da economia, o das empreiteiras –, o desemprego não chegava a 5% e a concentração de renda estava no nível mais baixo da história.

A união dos sindicatos, pois, não ocorreu do nada. Está ocorrendo porque os trabalhadores estão exigindo a união em torno de Lula. Por isso foram às dezenas de milhares ocupar a Praça Santos Andrade, em Curitiba, no “Primeiro de Maio Unificado”

 

Não foi por outra razão que, após a prisão de Lula os cinco principais partidos de esquerda do Brasil, PT, PDT, PSB, PCdoB e PSOL se uniram para a construção de uma agenda comum contra o retrocesso político e econômico que vive o País.

As cinco legendas lançaram o Manifesto Unidade para Reconstruir o Brasil, que defenderá as conquistas dos trabalhadores, a retomada da economia e a soberania nacional.

O mais impressionante em tudo isso é que, preso, Lula conseguiu façanhas que jamais conseguira quando estava em liberdade e muito menos quando teve nas mãos o maior poder do país, a Presidência da República.

Ainda não se pode prever direito o que significa, pela primeira vez na história, todos os partidos de esquerda e todos os sindicatos mais importantes estarem unidos politicamente e, sobretudo, em defesa do ex-presidente Lula, mas nunca, jamais, em tempo algum a esquerda marchou tão unida para um processo eleitoral.

Concomitantemente, as pesquisas mostram que o povo está torcendo o nariz para o tal “centro democrático” de que a mídia tanto fala e que não passa da direita demo-tucana.

Hoje, as únicas duas forças políticas relevantes são, em muito menor proporção, o contingente que apoia o candidato de extrema-direita Jair Bolsonaro, agora e por enquanto no PSL, e o ex-presidente Lula e/ou seu candidato. Os candidatos neoliberais – Temer, Alckmin e mais um grupelho de empresários sem votos – não representam nada.

Detalhe: o golpe foi dado pela Lava Jato em consórcio com o tal “centro-democrático” midiático. Eu diria que foi um tiro no pé. E você?

Assista à matéria em vídeo.

*****
Fonte:https://blogdacidadania.com.br/2018/05/preso-lula-realiza-proezas-que-nao-realizava-em-liberdade/

Anúncios

Previdência Social deficitária é mito

28.07.2016
Do portal FENADADOS

O governo golpista instalado no Brasil quer, sem qualquer sombra de dúvida, implantar no País o projeto neoliberal derrotado nas urnas. O plano é acabar com o Estado social e implantar o Estado mínimo, o que significa dizer que a maior parte da população ficará excluída de projetos de amparo social como Saúde, Educação, Moradia etc.

A Reforma da Previdência entra neste contexto excludente. Com a desculpa falaciosa de que há déficit no sistema providenciário, os golpistas insistem em defender uma reforma desumana, que deixará de fora do sistema milhões de brasileiros e brasileiras, tendo em vista que em alguns estados do Brasil a expectativa de vida mal chega aos 65 anos, idade mínima defendida pelo governo.

Eduardo Fagnani, professor de Economia da Unicamp, demonstrou durante o 19º CNPPD que, na verdade, é a contabilidade oficial que fabrica este tal déficit, pois registra apenas a contribuição do trabalhador e a do empregador, mas esconde a do governo, estabelecida pela Constituição Federal.

A Previdência Social é, na verdade, superavitária. O rombo propagado se dá, além da não contabilização da parte do governo, pelas isenções fiscais, que chegam a R$ 300 bi, sendo que desses, R$ 127 bi são no âmbito da Previdência Social.

Previdência Complementar também está sob ataque

O ataque à Previdência se estende também aos Fundos de Pensão, que existem para equilibrar os proventos de aposentados, mas está sendo tratado, pelos golpistas, como oportunidade de negócios para o ‘mercado’.

O assalto à poupança dos trabalhadores e trabalhadoras se dará, caso o golpe não seja derrotado, retirando dos trabalhadore(a)s a representatividade na gestão dos Fundos de Pensão.

Antonio Bráulio de Carvalho, da Associação Nacional dos Participantes de Fundos de Pensão, chamou atenção para o perigo de aprovação do PLP 268/16, que pretende acabar com a paridade entre as representações dos trabalhadores e dos patrocinadores nos Conselhos Deliberativo e Fiscal, além de extinguir eleição direta para a Diretoria Executiva desses fundos.
*****
Fonte:http://www.fenadados.org.br/artigo/ver/id/4916/0/previdencia_social_deficitaria_e_mito

AUDIÊNCIA PÚBLICA SOBRE O CRPS E JUNTAS: MOBILIZAÇÃO E PARTICIPAÇÃO PARA O DIA 07 DE JULHO

25.06.2015

Por Irineu Messias

Vagner de Freitas,Presidente Nacional da CUT
Vagner, presidente da CUT, estará na audiência.

Finalmente, o senador Paulo Paim, em 23 de junho de 2015, enviou convites para todas as entidades que participarão  como debatedoras do tema “A Importância do Conselho Nacional e das Juntas de Recursos da Previdência Social para o trabalhador brasileiro e a situação funcional de seus servidores”,

A audiência pública,que por 3 vezes foi adiada, finalmente acontece no dia 07 de julho de 2015, na Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa, presidida pelo próprio senador Paim.

O convite oficial da Comissão já foi enviado também para nossa Confederação, em nome do presidente Sandro Alex Cezar, vide abaixo o texto do convite:

Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa Senado Federal

OF. AP Nº. 493/15 – CDH.                                                                                                        Brasília, 23 de junho de 2015.

Ao Senhor

Sandro Alex de Oliveira Cezar

Presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Seguridade Social – CNTSS

Telefone: (11) 2108 9200 (61) 33225062

E-mail: diretoria@cntsscut.org.br / secgeral@cntsscut.org.br 

Assunto: Convite para participar da mesa de Audiência Pública na CDH

Senhor Presidente,

Ao cumprimentá-lo, temos a satisfação de convidar Vossa Senhoria a compor a mesa em Audiência Pública da Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa do Senado Federal, para debater o tema “A Importância do Conselho Nacional e das Juntas de Recurso da Previdência Social para o trabalhador brasileiro e a situação funcional de seus servidores”.

A Audiência Pública realizar-se-á no dia 07 de julho de 2015, terça-feira, às 9 horas, no Plenário nº 2, Ala Senador Nilo Coelho, Anexo II, Senado Federal.

Os expositores que tenham interesse em utilizar o sistema multimídia do Senado Federal para suas apresentações deverão comparecer com antecedência à secretaria da Comissão para que sejam testadas

E, ainda, solicitamos a gentileza de comunicar a sua presença à Secretaria da Comissão no dia da Audiência a fim de facilitar a organização das mesas.

Aproveitamos a oportunidade para colocar a Secretaria da Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa à disposição para quaisquer esclarecimentos nos telefones: (61) 3303-2005/1856 Fax: (61) 3303-4646. Solicitamos a gentileza de confirmar a presença por meio do e-mail: cdh@senado.leg.br , fazendo referência ao OF. AP Nº. 493/15 – CDH.

Senador PAULO PAIM Presidente da Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa

**********

Nossa tarefa agora, servidores, conselheiros e  todos quanto  apoiam o fortalecimento do CRPS e das Juntas de Recursos é se mobilizar para que estejamos em peso na audiência. Além do presidente Sandro,dirigentes da CNTSS de vários estados estarão presentes,sendo acompanhados de servidores da Juntas de seus respectivos estados.

O Sindsprev/PE está disponibilizando arte da camisa que os sindicatos podem confeccionar para serem usadas durante a audiência.Pedimos que as entidades imprimam ou reenviem por email, os cartazes da audiência. abaixo disponibilizamos tanto o cartaz quanto a arte da camisa:

Cartaz  - Audiência Pública no Senado Federal (1)
Sugerimos que compartilhem nosso cartaz com todos que estão envolvidos nesta luta em prol do CRPS e das Juntas. Se possível imprimam e coloquem em lugares públicos.

Camisa - verso Camisa - frente

Arte da Camisa. Sugerimos que seja  usada no dia 07 de julho, durante a audiencia, no CRPS  em todas as Juntas de Recursos.

Divulgamos abaixo as orientações  de nosso consultor legislativo, Wlamir Campos, colhidas  do próprio portal do Senado Federal, de como se deve acompanhar a  audiência pela internet:

Quanto a audiência, a forma mais fácil de acompanhar e assistir pela internet é clicar no endereço http://www12.senado.gov.br/ecidadania/principalaudiencia.

Clicando nesse endereço se chega ao Portal “Participe de uma audiência pública” – TEMPO REAL.

Nesse portal basta clicar sobre o nome da audiência que você quer assistir.

Além de assistir online é possível ainda fazer escrever comentários e fazer perguntas. 

Para facilitar, as  imagens da audiência produzidas pela TV Senado são publicadas no Youtube

Segue abaixo mais informações:

No Senado Federal a realização de Audiências Públicas é um dos principais instrumentos de contato com a sociedade. Ouvir especialistas nos diversos assuntos faz com que as decisões dos senadores estejam mais alinhadas com a perspectiva da sociedade. Agregar a participação individual dos cidadãos ao debate nas Audiências Públicas é mais um avanço social e político. O cidadão, em tempo real, poderá acompanhar os debates nas Audiências Públicas e enviar seus comentários para publicação no “Mural do Cidadão”.

Participe de uma Audiência – Instruções de funcionamento

Objetivo:

Oferecer ao cidadão a possibilidade de acompanhar em tempo real a realização das audiências públicas ou outros debates legislativos realizados no Senado Federal, interagir com outros cidadãos e se comunicar com os especialistas que estão debatendo o assunto, em um único ambiente de internet que possa agregar imagem e som da audiência, documentos expostos, entre outros. Dessa forma, o Senado estará aproximando os senadores da sociedade e incentivando a participação dos cidadãos nos assuntos políticos nacionais.

Como acompanhar o debate?

Para acompanhar o debate realizado durante uma audiência pública ou outro tipo de evento legislativo, basta que o cidadão acesse o Portal e-Cidadania, do site do Senado Federal. Ao entrar no ambiente da ferramenta “Audiência Pública Interativa”, o cidadão terá oportunidade de assistir à transmissão do evento por meio da TV Senado, consultar os documentos de apoio disponíveis pelos especialistas e visualizar os comentários publicados no Mural do Cidadão.

Como publicar comentários no Mural do Cidadão?

Passo 1

O cidadão precisa se identificar com o login e senha do Portal e-Cidadania. Caso o cidadão ainda não seja cadastrado, basta preencher breve formulário e confirmar os dados em e-mail de validação. O cadastro é realizado somente uma vez e, após o login, é possível participar de toda a Audiência.

Passo 2

Redigir o comentário desejado e assinalar a concordância com o Termo de Uso da ferramenta.

As mensagens são publicadas no Mural conforme a ordem cronológica de registro no sistema.

Os comentários do Mural são moderados?

Sim. Todos os comentários enviados pelos cidadãos, antes de serem publicados no Mural, são avaliados por equipe técnica a fim de verificar a adequação da mensagem ao propósito do debate. Não são publicados os comentários que tratem de assunto diverso ao tema do debate, usem expressões de baixo calão ou tenham sentido ofensivo, conforme detalhamento constante no Termo de Uso da ferramenta.

Como participar pelo telefone?

A participação do cidadão por meio do telefone ocorre pelo Alô Senado, 0800 612211. As chamadas são gratuitas e os comentários e perguntas são registrados na página da audiência pelos atendentes. Em função de aspectos tecnológicos, não é possível assegurar que os comentários sejam publicados na página da audiência pública em tempo real.

É possível participar por meio das redes sociais?

Por enquanto, não é possível participar das audiências públicas interativas por meio das redes sociais. Entretanto, os eventos interativos e demais funcionalidades relacionadas ao Programa e-Cidadania são divulgadas nas páginas da Agência Senado no Facebook (www.facebook.com/SenadoFederal), Twitter (www.twitter.com/agencia_senado) e Google+ (plus.google.com/115929845118684891660).

Após o final do debate, é possível ter acesso à página e seu conteúdo?

Sim. Após o encerramento, a página do evento permanecerá disponível para consulta, considerando as seguintes condições:

Imagens de TV: Serão publicadas no Youtube e disponibilizadas na página da audiência após seu término.  A publicação e disponibilização na página da audiência podem levar algumas horas;

Comentários do Mural do Cidadão: Todos os comentários são armazenados em bases de dados e estarão visíveis para consulta;

Documentos de referência: Os documentos que foram disponibilizados pelos especialistas estarão visíveis para consulta.

Estarei presente com uma comissão de servidores da 3ª Junta de Pernambuco. Espero poder encontrar servidores e servidoras,  tanto da sede do CRPS, em Brasília,  quanto das diversas Juntas de Recursos de todo o País.Esta é a nossa hora  de mostrarmos, através do parlamento brasileiro, a importância dessas  instâncias de recursos da Previdência Social para todos os trabalhadores brasileiros e a necessidade de valorizar todos os servidores dessas instâncias, sejam do INSS, MPS e DATAPREV.

****

CRPS/JUNTAS DE RECURSOS:AUDIÊNCIA NO SENADO, É MAIS UMA VEZ ADIADA PARA DIA 07 DE JULHO

22.06.2015

Por Irineu Messias

Fomos informados pela assessoria da CNTSS/CUT, na sexta passada que foi adiada para o dia 07 de julho de 2015, audiência no Senado Federal, que debaterá sobre  ““A Importância do Conselho Nacional e das Juntas de Recursos da Previdência Social para o trabalhador brasileiro e a situação funcional de seus servidores”,  O evento acontecerá, na terça-feira, dia 07, no mesmo horário, 09h, e no mesmo local, plenário da Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa, presidida pelo Senador Paulo Paim(PT.RS), autor do requerimento da referida audiência.

Cartaz  - Audiência Pública no Senado Federal, dia 07.07.2015
Cartaz – Audiência Pública no Senado Federal, dia 07.07.2015

Esses três adiamentos,de fato causaram algumas problemas, tendo em vista que muita gente teve que modificar a agenda para poder participar. No entanto, entendemos  que a razão da mudança é a pauta política que esta sendo muito polêmica e tensa. Três grandes temas tem tomada a atenção dos senadores, nestes últimos meses: terceirização, o ajuste fiscal e o fator previdenciário. Sem deixar de falar nas questões do debate sobre o pré – sal, em que senadores da oposição, que abrir a exploração do pré-sal para as petroleiras estrangeiras.

Discorremos sobre a pauta do Senado,para que não tenhamos a falsa impressão que nossa audiência, não ocorrerá.  Por isso que dia, 06 de julho , o senador Paim,  comunicou a necessidade da realização de audiência Pública para tratar do tema “fator previdenciário”, assunto que todos os brasileiros estão vivamente interessados

Portanto, devemos nos manter mobilizados para participarmos ativamente de nossa audiência, que com certeza será um divisor de águas na história do Conselho de Recursos da Previdência Social.

O Sinsdprev de Brasília.DF, já confirmou  que está mobilizando os servidores da sede do CRPS, em Brasília. Segundo Adão Alves, diretor do sindicato, boa parte da direção estará presente na Audiência. No dia 17 de junho, Irineu Messias, participou da Plenária da CNTSS, em Brasília.DF, e fez um apelo para que os dirigentes facilitem a vinda de servidores para que os servidores da Juntas participe também.

Abaixo as entidades e órgãos do governo convidados para audiência:

Representantes do Governo:

Ministro da Previdência Social –  Carlos Eduardo Gabas

INSS –  Elisete Belchiol, presidenta

Conselho de Recursos da Previdência Social – André Rodrigues Veras, presidente

Centrais sindicais:

CUT NACIONAL – Vagner Freitas;

NOVA CENTRAL SINDICAL – Jose Calixto Ramos

CTB – Adilson Ramos

Representação dos servidores:

CNTSS/CUT – Sandro Alex Cezar

ANASPS – Alexandre Lisboa Barreto

Outras entidades:

CONTAG(Trabalhadores Rurais) – Alberto Hercílio Broch

COBAP( Aposentados) –  Warley Martins Gonçalle

CNTI (Trabalhadores da Indústria) – José Calixto Ramos

CNC – Confederação Nacional do Comércio

ANFIP – Auditores Fiscais da Previdência